Compartilhe
4

Top 7 destinos imperdíveis para visitar na Europa durante a primavera

Não tem jeito: viajar para a Europa é sempre especial! Mas se você é do tipo que vive procurando a melhor ocasião para marcar a viagem, e tentando no meio disso aproveitar os preços de alta e baixa estação, fica a dica: visitar o velho continente na primavera é uma ótima pedida – e as flores da estação tem um pouco a ver com isso.

Alerta de spoiler: Paris e seus lindos jardins estão entre as dicas abaixo. (Crédito da foto: www.flickr.com/Janne_Räkköläinen - Creative Commons License)

Alerta de spoiler: Paris e seus lindos jardins estão entre as dicas abaixo. (Crédito da foto: www.flickr.com/Janne_Räkköläinen – Creative Commons License)

Como a primavera europeia fica entre os meses de abril e junho, ela cai em um período duplamente especial: os preços ainda não começaram a subir com a chegada do verão, mas as temperaturas sim, deixando o frio para trás. E não faltam lugares em que o tempo bom e a chegada das flores parecem transformar totalmente a paisagem, dando uma experiência totalmente diferente à viagem.

Fora isso, todo o astral muda quando o sol está de fora: as pessoas começam a sair às ruas, aposentar os casacões, aproveitar os biergartens, os parques, as atrações ao ar livre. Parece que todo mundo fica mais bem-humorado! Eu estou só amores com a primavera aqui – e separei algumas dicas de lugares que, tenho certeza, ficam lindos nessa época do ano e você vai amar também.

  1. Parque Keukenhoff, Holanda

Quem tem viagem marcada para a Holanda lembra de canais, bicicletas, museu do Van Gogh e… Tulipas! A flor é tão característica do país que as imagens de campos de tulipas coloridas com moinhos ao fundo é quase um ponto turístico que a gente sonha em acrescentar em nosso checklist quando vai para lá.

Quem ama tulipas não pode deixar de conhecer esse parque espetacular na Holanda. (Crédito da foto: www.flick.com/Micah_MacAllen - Creative Commons License)

Quem ama tulipas não pode deixar de conhecer esse parque espetacular na Holanda. (Crédito da foto: www.flick.com/Micah_MacAllen – Creative Commons License)

Mas a verdade é que a melhor época para vê-las, no auge das suas candy colors, é mesmo na primavera – e o melhor lugar para fazer isso de perto é o Parque Keukenhoff, que também só abre nessa época do ano.

As tulipas são as estrelas do parque, mas a composição dos jardins é um espetáculo à parte, e que esse ano ficou mais bacana ainda: com a comemoração dos 125 anos da morte do pintor Van Gogh, muitos dos jardins foram montados com autorretratos – ou, na linguagem de hoje, selfies – do pintor, feitas em flores. O parque fica em Lisse, mas é fácil ir e voltar de lá saindo de Amsterdam ou do aeroporto de Schipol.

2. Cotswolds, Inglaterra

Tantos reis e castelos ao longo da história deram à Inglaterra uma herança inusitada: os longos e bem trabalhados jardins, que faziam parte de muitas propriedades reais. Eles continuam preservados até hoje, e a chegada da primavera, com o desabrochar das flores, transforma literalmente a paisagem – a ponto de você poder ver uma cidade completamente diferente em um intervalo de apenas três meses.

A região, que tem clima medieval, fica ainda mais bonita na primavera. (Crédito da foto: www.flickr.com/Kumweni - Creative Commons License)

A região, que tem clima medieval, fica ainda mais bonita na primavera. (Crédito da foto: www.flickr.com/Kumweni – Creative Commons License)

Então, quem vai viajar para a Inglaterra nos próximos meses pode começar a ver a transformação nos parques de Londres, como Regent’s Park e Kensington Gardens (aqui já tem um roteiro em Londres especial para vocês).

Mas a experiência mais bacana, quase mágica, está em alugar um carro e ir conhecer Cotswolds, a duas horas da capital inglesa. A região é cheia de vales e pequenas montanhas, e é onde ficavam as pequenas fazendas produtoras de lã que abasteciam a nobreza da idade média. Com a proximidade com a capital, a região foi prosperando com o comércio, o que proporcionou a construção de grandes igrejas, casarões elegantes e vilarejos peculiares, todos de pedra e com um ar claramente medieval.

Passear por ali é uma delícia – e uma viagem no tempo. Prepare-se para ver pubs centenários, casarões cobertos de heras e pequenas ruas de pedra. Tudo é bucólico e delicioso, e a primavera, os dias claros, as flores e as temperaturas mais altas tornam o passeio muito mais agradável.

Dica: você pode alugar um carro e partir de Londres ou de Oxford. Vale a pena pernoitar em uma das cidadezinhas da região, como Stow-on-the-Wold ou Cheltenham, para aproveitar mais o clima da viagem sem ficar preocupado com o horário de voltar!

3. Budapeste, Hungria

Budapeste já assumiu há tempos o posto de cidade queridinha de muita gente que viaja pela Europa – e parte disso é mérito das pessoas de lá. A capital da Hungria é simpatia pura.

A temperatura pode não ser ideal para cair na água, mas as termas de Budapeste são super convidativas. (Crédito da foto: www.flickr.com/sesvecan_photography - Creative Commons License)

A temperatura pode não ser ideal para cair na água, mas as termas de Budapeste são super convidativas. (Crédito da foto: www.flickr.com/sesvecan_photography – Creative Commons License)

E, ok, ela é linda em qualquer época do ano, mas porque visitá-la na primavera? O principal motivo são os banhos termais, muitos deles que existem há séculos. O mais famoso é o Szechenyi Baths, mas são vários espalhados pela cidade, que não por acaso é conhecida como a “Cidade dos Spas”. E, com o final dos dias frios e a chegada de sol, uma piscina termal ao ar livre no meio da cidade é uma experiência e tanto!

Mas, fora da piscina, Budapeste está só começando. A cidade é deliciosamente cultural, e a chegada da primavera anuncia o início dos festivais, feiras gastronômicas na rua, dias longos ou simplesmente o clima ideal para caminhar pelas ruas de paralelepípedos de Buda enquanto a gente admira a vista linda do prédio do Parlamento Húngaro.

Mais um motivo: viajar para Budapeste sai mais em conta do que para muitas cidades na Europa.

  1. Sevilha, Espanha

Meu marido morou por seis meses em Sevilha, e, nas palavras dele, “não conheci nenhuma cidade tão arquitetonicamente bonita “. Se esse superlativo é uma constatação, eu não posso dizer, mas Sevilha tem mesmo esse quê apaixonante estampado nas praças, construções, torres, gastronomia…

Essa época do ano tem o clima ideal para curtir a arquitetura e a cultura em Sevilha. (Crédito da foto: www.flickr.com/S_Hoyas - Creative Commons License)

Essa época do ano tem o clima ideal para curtir a arquitetura e a cultura em Sevilha. (Crédito da foto: www.flickr.com/S_Hoyas – Creative Commons License)

E a primavera é a boa pedida: se Sevilha é meio gelada no inverno (as construções são charmosas, mas não são preparadas para proteger do clima como acontece nos países mais frios) e chega a ser um calorão só no verão, os meses de primavera são aquele “caminho do meio” simplesmente perfeito. É a melhor época para conhecer a cidade.

Aproveite a temperatura agradável para fazer tudo a pé e ao ar livre: comece na imponente Plaza de España e vá visitar o Alcazar, a Catedral de Sevilha e comer umas tapas no Barrio Santa Cruz. Sem falar, é claro, no flamenco: há apresentações de dança acontecendo toda semana em algum lugar, e o Museu de Dança Flamenca, que é imperdível!

  1. Sognefjorden, na Noruega

Se na Europa é fácil a gente encontrar fotos de cidades que mais parecem saídas de páginas de contos de fadas, poucos países têm paisagens que parecem ilustrar o mundo de O Senhor dos Anéis, por exemplo – e a Noruega é um deles. Fiordes imponentes, águas de cores escandalosamente bonitas (e absolutamente geladas!), renas simpáticas e um povo tão cheio de histórias ajudam a dar ares de sonho à uma viagem inesquecível.

O restinho de neve no topo das montanhas parece a cereja do bolo nesse passeio fora de série. (Crédito da foto: www.flickr.com/Harvey_Barrison - Creative Commons License)

O restinho de neve no topo das montanhas parece a cereja do bolo nesse passeio fora de série. (Crédito da foto: www.flickr.com/Harvey_Barrison – Creative Commons License)

Mas se o país é famoso pela neve, pela aurora boreal e pelo sol da meia-noite, é na primavera que as paisagens estão no seu momento mais bonito. A dica, aqui, é embarcar em um dos cruzeiros que partem da cidade de Bergen (que, aliás, é um fofura por si só) e subir a costa do país, ladeando de barco até chegar ao Sognefjorden, o mais largo fiorde da Noruega e o terceiro mais longo do mundo. Percorrer por dentro dos paredões de pedra já é uma experiência imponente, mas na primavera é possível ainda ver restos de neve nas montanhas ao fundo contrastando com a paisagem verde e viçosa, já com as flores desabrochando.

Eu fui no verão, quando a neve já tinha ido embora. Mas lembro que, quando estava lá, o comandante do navio contou que há registros que Tolkien, o autor de O Senhor dos Anéis, fez essa mesma viagem de barco na época, pouco antes de começar a escrever o livro – tanto que quem se lembrar da história sabe que há uma inegável influência nórdica na saga. E aparentemente, é na primavera que fica a curta janela de tempo para se visitar a Terra Média no seu modo mais bonito. 🙂

6. Paris, França

Se a frase “sempre teremos Paris” é uma verdade absoluta, ter Paris na primavera é como um presente. A cidade toda desabrocha em flores, os cafés parisienses começam a colocar suas mesas do lado de fora, os músicos de rua saem dos subterrâneos do metrô e a gente morre de amores com tudo isso. E Paris, que sempre foi a capital da moda e da beleza, sabe explorar o lado visual da primavera como ninguém.

Paris fica ainda mais mágica durante a estação das flores - se é que isso é possível. (Crédito da foto: www.flickr.com/João_Ernani_Oliveira - Creative Commons License)

Paris fica ainda mais mágica durante a estação das flores – se é que isso é possível. (Crédito da foto: www.flickr.com/João_Ernani_Oliveira – Creative Commons License)

O tempo bom é seu principal aliado, então pense nele na hora de decidir como serão seus passeios. Paris na primavera é para ser conhecida a pé e ao ar livre. Então, aproveite uma tarde para conhecer o Louvre sim, mas também reserve um tempo igualmente especial para ir aos jardins nas Tuileries, que são quase uma pintura por si só. E só para continuar no assunto “flores”, outro passeio imperdível é o Jardim de Luxemburgo – ou, melhor ainda, uma visita de um dia ao Palácio de Versalhes.

Outra dica: com o tempo bom, a fila para a Torre Eiffel aumenta de tamanho, de tempo e de chatice. Mas se você quiser uma alternativa de uma vista igualmente boa da cidade, vá para o topo do Tour Montparnasse para ter uma visão especial do Champs de Mars e da Torre Eiffel (melhor ainda se for lá pelo fim da tarde, para pegar um sol bem bonito!). Para deixar o momento ainda melhor, passe em um mercado qualquer antes e compre um champagne e duas taças. Acredite: a primavera e a vida serão muito bem comemoradas lá de cima!

Nunca vá a Paris sem tempo para simplesmente se perder pelas ruas e apreciar vistar como esta. (Crédito da foto: www.flickr.com/Dimitry_B - Creative Commons License)

Nunca vá a Paris sem tempo para simplesmente se perder pelas ruas e apreciar vistar como esta. (Crédito da foto: www.flickr.com/Dimitry_B – Creative Commons License)

E o mais importante: nada de pressa! Vá com seu roteiro pré-determinado, mas, se for na primavera, deixe espaço na agenda para se perder pelas ruazinhas e parques de Paris. Vai fazer toda a diferença na sua viagem.

  1. Perugia, Itália

Tive o prazer de ir mais de uma vez à Itália, tanto na primavera quanto no verão. E, mesmo tendo passado pelo combo Roma-Florença-Veneza, que são as cidades mais populares nos roteiros turísticos, foi na simpática Perugia que o meu coração bateu superforte.Perugia fica na Umbria, região que fica entre a Toscana e a capital, Roma, o que torna fácil viajar até lá se você vem de um lado ou de outro.

Combine a vista dessa cidadezinha a muitas flores e você terá ideia de como é Perugia na primavera. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Combine a vista dessa cidadezinha a muitas flores e você terá ideia de como é Perugia na primavera. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Só a chegada ao centro histórico da cidade já faz valer a pena: Perugia fica encarapitada em um morro, e muralhas medievais cercam a cidade e dão vista para um belíssimo vale lá embaixo. No centro histórico, lojinhas, restaurantes e hotéis charmosíssimos dividem o espaço com catedrais exuberantes e cheias de história (uma delas guarda como relíquia a suposta aliança de casamento de Maria, mãe de Jesus) e com a Galeria Nacional da Umbria, que guarda um dos mais impressionantes acervos de arte sacra italiana. Assim como Michelangelo em Florença, Perugia também tem seu pintor: Pietro Perugino, um dos mais importantes artistas da Renascença – ele chegou a trabalhar junto com Da Vinci e foi professor do pintor Rafael.

Mas, na primavera, a vida em Perugia acontece fora dos museus: e começa na mesa, com pratos à base de trufas negras, queijo pecorino, e presunto cru – produtos típicos da região e facilmente encontrados na capital, especialmente a partir de abril, quando começam as colheitas. Você também vai encontrar fazendas de agriturismo e vinhos de edição limitadíssima. Além disso, a cidade é considerada a capital do chocolate italiano (lembra do chocolate “Bacio”? Pois então, a empresa que produz fica na cidade e se chama… Perugina).

E, só para não dizer que não falei das flores: quem vai a Perugia na primavera tem altas chances de passar por campos de papoulas, que florescem por lá nessa época do ano. 🙂

Compartilhe
4
Clarissa Donda
Siga-me no

Clarissa Donda

Author chez Viajando - Expedia Brasil
Jornalista, marqueteira digital e curiosa por fotografia e por histórias inusitadas pelo mundo, que conta no seu blog, o Dondeando por aí (http://dondeandoporai.com.br/). Hoje mora em Londres com suas duas gatinhas, vive com uma mochila nas costas, já publicou um livro, plantou uma árvore, anda de patinete ao invés de bicicleta porque é mais divertido e escreve sobre novidades "in loco" da Europa para vários veículos.
Clarissa Donda
Siga-me no

Últimos posts por Clarissa Donda (veja todos)