Serra da Canastra: muitos queijos e aventuras em Minas Gerais

Só mesmo um estado como Minas Gerais poderia unir duas coisas sensacionais: turismo de aventura e “turismo queijeiro”, um termo que uso carinhosamente para descrever as peripécias em busca dos melhores queijos da região do Parque Nacional da Serra da Canastra.

Além da produção quase artesanal dessa iguaria mineira, a Serra da Canastra também é muito conhecida por suas belezas naturais como a nascente do Rio São Francisco e as inúmeras quedas d’águas que embelezam ainda mais as montanhas de Minas Gerais.

Queijos deliciosos da região

Queijos deliciosos da região

Como chegar até a Serra da Canastra?

Essa área ainda é uma região muito autêntica e intocada. Para chegar até ela, é preciso voar até a capital Belo Horizonte e depois seguir 360 km pela rodovia e mais um pequeno trecho de estrada de terra. Saindo de São Paulo, são aproximadamente 540 km de distância.

A maioria dos GPS tem mapas no máximo até as cidades de Vargem Bonita, Delfinópolis ou São Roque de Minas, por isso é sempre bom confirmar o caminho com o pessoal da pousada onde você vai se hospedar. Na estrada para a Serra da Canastra, é bem provável que você passe pela repesa da hidrelétrica de Furnas, uma das maiores do Brasil.

Todos os percursos dentro do parque são feitos por estradas de terra, seja o acesso às trilhas e cachoeiras, seja a busca pelo melhor queijo canastra. O parque nacional da Serra da Canastra é enorme e as cidades mais próximas são: Vargem Bonita e São Roque de Minas (ambas na parte norte e próximas à nascente do Rio São Francisco e à cachoeira Casca D’Anta) e Delfinópolis, localizada na parte mais ao sul.

Cachoeira dentro do Parque da Serra da Canastra

Cachoeira dentro do Parque da Serra da Canastra

O que fazer na Serra da Canastra?

Ela fica no finalzinho da mata Atlântica e início do cerrado, por isso a vegetação local é tão bonita e diferente de outras regiões de Minas Gerais. Os cenários são lindos e os moradores têm aquele jeitinho “mineirim” de receber bem que passa por ali.

A Serra da Canastra é muito conhecida por ser um destino de aventura, por isso as atividades mais comuns são percorrer as trilhas pelas montanhas, fazer passeios de motocross ou jeep, descer os rios fazendo canoagem ou boia-cross e, quem sabe, ainda se aventurar descendo alguma cachoeira de rapel. Como a circulação dentro parque é limitada para quem não tem um veículo apropriado, algumas pousadas e guias locais oferecem esses tipos de passeios.

O quesito cachoeiras merece um destaque especial: mesmo se você não seja da turma do turismo de aventura, é relativamente fácil visitar algumas quedas d’águas sensacionais. Mais de dez cachoeiras ficam dentro do perímetro do parque, algumas com acesso mais difícil e com a necessidade de guia cadastrado, outras nem tanto, mas certamente muitos cenários lindíssimos te esperam por lá.

A cachoeira mais famosa e acessível é a Casca D’Anta. Para visitá-la, é preciso pagar uma taxa de menos de 10 reais para o parque e seguir por uma trilha bem leve de 25 minutos até o rio e não precisa de guia local. É surpreendente!

Cachoeira Casca d'Anta

Cachoeira Casca d’Anta

Fora do período de chuva, algumas piscinas naturais se formam e é até possível tomar banho se você aguentar a água mais fria. A mais famosa delas fica na Fazenda do Tio Zezico e o ideal é perguntar o caminho até na sua pousada.

Um dos pontos altos da Serra da Canastra e uma das melhores vistas é o Morro do Carvão. Chegar lá não é difícil, apesar da estrada com barro e pedras, e você ainda pode descansar, tomar alguma coisa ou comer uma comida típica no restaurante Edmar Simone.

Em busca do queijo mineiro perfeito

O queijo canastra ficou conhecido no Brasil inteiro como um dos melhores queijos nacionais e já ganhou até prêmios internacionais por sua qualidade e tradição. Visitar a Serra da Canastra e não trazer uma iguaria dessas para casa é como visitar Roma e não … o resto você já sabe. Existem vários produtores locais, mas só consegui visitar dois deles:

Sítio do Zé Mario

A região da fazenda do Zé Mario é linda, mas tome cuidado com o acesso em dias de chuva, pois o caminho é escorregadio. Lá o queijo é feito do mesmo jeitinho que antigamente e, depois de preparado, é colocado numa prateleira onde fica curando até chegar no ponto ideal para o consumo.

Cenário típico da região

Cenário típico da região

Fazenda Agro-Serra

Outro produtor tradicional. Na Fazenda Agro-Serra você consegue ver a extração do leite pela manhã, a produção e o armazenamento do queijo. Na época da visita, eles me contaram que forneciam o queijo para alguns dos restaurantes mais famosos do Brasil como o Maní, em São Paulo.

Por fim, não deixe de provar uma maravilha que nossa pousada chamou de Mc Minas: uma mistura de pão de queijo recheado de fatias generosas de queijo canastra e grelhado numa chapa no fogão a lenha. É puro sabor de Minas Gerais!

 

Natalie Soares
Siga-me no

Natalie Soares

Autora chez Viajando - Expedia Brasil
Pós-graduada em Mídias Sociais pela FAAP, é autora do blog de viagem e tecnologia Sundaycooks e fundadora da ABBV (Associação Brasileira de Blogs de Viagem). Atualmente trabalha como editora de conteúdo online e vive fazendo planos para a próxima viagem.
Natalie Soares
Siga-me no

Últimos posts por Natalie Soares (veja todos)