Um safári na África do Sul: sensações de uma grande aventura

Sonho de 10 em cada 10 viajantes convictos, fazer um safári na África do Sul é realmente uma emoção difícil de ser descrita. Entre uma linha e outra, geralmente escorrego nos adjetivos e não consigo conter minha animação ao relatar uma das viagens mais únicas e inesquecíveis que já fiz. Por isso sempre costumo indicar: faça um safári sem pestanejar e vivencie essa grande experiência.

A princípio pode parecer algo difícil, inacessível e de logística complicada, mas o planejamento de uma viagem de safári geralmente é mais simples e possível do que imaginamos. Então é hora de tirar esse sonho do papel!

Os cenários de um safári são surpreendentes e vão muito além dos lindos animais selvagens, há muita natureza

Os cenários de um safári são surpreendentes e vão muito além dos lindos animais selvagens, há muita natureza intocada (Foto: Natalie Soares)

Para ajudar, aí vão 5 dúvidas sobre safári e algumas considerações:

Qual moeda levar para a África do Sul?

A moeda oficial do país é o Rand que hoje vale menos que o Real. As moedas fortes como Dólar, Euro ou Libra não são aceitas no país em qualquer lugar, por isso, você tem algumas opções de câmbio: fazer o saque em moeda local da sua conta corrente (confirme as taxas cobradas pelo seu banco antes de viajar); trocar Dólar para Rand nas casas de câmbio ou ainda comprar Rand aqui no Brasil.

Qual é a melhor época para fazer um safári?

Esta resposta é simples: vá o ano todo, entretanto fique atento a alguns detalhes. O outono e o inverno são as estações ideais. Esses períodos coincidem com a seca na savana que favorece a visualização dos animais em seu habitat natural.

A primavera e o verão também são épocas viáveis, mas leve em consideração o forte calor que faz durante o dia, embora os safáris comecem muito cedo pela manhã, quando está mais fresquinho, o dia é bem quente. A vegetação também fica mais verde e densa, o que pode dificultar um pouco a visualização dos animais.

A experiência de ver animais selvagens em plena selva africana é única, os guias dos parques  se comunicam o dia todo, trocando dicas dos melhores lugares para chegar mais próximo aos animais (Foto: Natalie Soares)

A experiência de ver animais selvagens em plena selva africana é única, os guias dos parques se comunicam o dia todo, trocando dicas dos melhores lugares para chegar mais próximo aos animais (Foto: Natalie Soares)

O que levar na mala para um safári?

Pense em praticidade. Os ambientes dos lodges são bem casuais e durante as trilhas é importante se sentir confortável. A mala precisa conter calças, bermudas – ou aquela calça que vira bermuda – e blusas leves. Um casaco corta vento também é importante, pois a temperatura costuma cair no final do dia ou ainda faz frio no comecinho da manhã. Tênis ou bota de trekking e óculos de sol para as caminhadas mais longas são artigos indispensáveis.

Na nécessaire não podem faltar: um bom repelente, protetor solar, hidratante corporal, água termal, lenço umedecido, hidratante labial, soro fisiológico ou spray nasal, sua farmacinha básica e um bom seguro viagem.

Não se esqueça de um item importante: a África do Sul pede, na entrada ao país, a apresentação do certificado internacional de vacinação com a vacina da febre amarela em dia, a validade dela é de 10 anos, então você estará protegido para muitas outras viagens. Ah, e não deixe para providenciar esses itens em cima da hora.

Pôr do sol com chuva na África do Sul: apenas sentir a mudança do tempo e admirar as paisagens já fazem de uma ida ao país algo memorável

Pôr do sol com chuva na África do Sul: apenas sentir a mudança do tempo e admirar as paisagens já fazem de uma ida ao país algo memorável

Qual é o melhor roteiro de safári?

É possível fazer um safári na África do Sul em 18 parques nacionais diferentes ou em uma das incontáveis game reserves. O ideal é combinar essa aventura com um outro roteiro pelo país, passando por lugares como Johanesburgo, Cidade do Cabo, Rota Jardim ou Stellenbosch – a região vinícola do país.

Na hora de fechar sua viagem, vale a pena investir em um hotel de categoria superior durante o safári, pois ele provavelmente vai providenciar todas as saídas para os game drives e ainda vai dar um toque especial a essa experiência.

A Cidade do Cabo é uma boa pedida para incluir no seu roteiro, com uma diversidade incrível entre o lado urbano de uma grande cidade, lindas praias e muita natureza ao redor

A Cidade do Cabo é uma boa pedida para incluir no seu roteiro, com uma diversidade incrível entre o lado urbano de uma grande cidade, lindas praias e muita natureza ao redor

É seguro fazer um safári?

Talvez essa seja a pergunta mais comum que me fazem quando falo de safáris. Não se preocupem, eles são programas seguros e não oferecem grandes riscos para o turista, desde que as orientações dos guias sejam seguidas à risca.

Na cara do gol com os reis da selva

Pronto. Viagem planejada e tudo organizado, é chegada a hora de encontrar os animaizinhos, certo? O frio na barriga começa logo na primeira saída do game drive. Mas afinal, o que é isso?

Game drives são os passeios feitos em veículos 4×4, geralmente duas vezes por dia, uma de madrugada e outra no final da tarde, pois esses são considerados os melhores horários para avistar os animais, já que coincidem com os horários que eles partem para buscar comida.

Os xxx, os conhecidos carros 4x4 africanos, usados para os safáris. O veículo consegue ser rápido quando necessário e ainda oferece a melhor visão para acompanhar os animais, já que são abertos

Os conhecidos carros 4×4 africanos, usados para os safáris. O veículo consegue ser rápido quando necessário e ainda oferece a melhor visão para acompanhar os animais, já que são abertos

Embora eu recomende um upgrade no quesito hospedagem, você vai perceber que esse quesito é bem democrático na África do Sul, pois é possível fazer um safári mesmo estando hospedado em um hostel ou em um lodge cinco estrelas. Sendo que, muitos destes lodges operam num sistema completo bem interessante: não só as refeições e bebidas estão inclusas no valor da diária, mas as principais atividades também.

Fazer um safári foi uma das grandes experiências da minha vida, daquelas que ficam nas lembranças para sempre. Voltei de lá ainda meio anestesiada pela ansiedade do primeiro encontro com o leão, da euforia de ver uma girafa de perto, da magnitude do elefante e da alegria em avistar as zebras correndo.

Mais do que um bocado de memórias, fotos e histórias para contar, voltei com a certeza de que um dia ainda repetirei essa experiência transformadora. Crie a sua!

A ida a um safári garante fotos lindas, de animais, natureza e principalmente, como é a vida de verdade de uma selva africana, a busca por este olhar leva muitos fotógrafos profissionais à África

A ida a um safári garante fotos lindas, de animais, natureza e principalmente, como é a vida de verdade de uma selva africana, a busca por este olhar leva muitos fotógrafos profissionais à África

Natalie Soares
Siga-me no

Natalie Soares

Autora chez Viajando - Expedia Brasil
Pós-graduada em Mídias Sociais pela FAAP, é autora do blog de viagem e tecnologia Sundaycooks e fundadora da ABBV (Associação Brasileira de Blogs de Viagem). Atualmente trabalha como editora de conteúdo online e vive fazendo planos para a próxima viagem.
Natalie Soares
Siga-me no

Últimos posts por Natalie Soares (veja todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *