Compartilhe
0

Paris: 8 lugares para comer como um pariense

Faça como um local em Paris, onde comer e beber bem de acordo com os parisienses:

La Pascade

Com menu a cerca de 30 euros por pessoa, sem bebida), não é badaladaço, não tem fila e é ótimo. Comandado pelo chef Alexandre Bourdas, tem como especialidade a pascade, tipo de panqueca grossa feita com ovos, farinha de cereais e creme de leite, ligeiramente caramelizada, que serve de “prato” para as criações do cozinheiro. Tudo lá é servido dentro da pascade, bem feitíssima, saborosa e nada pesada, como pode soar (esqueça a comparação com a sopa que vem dentro do pão italiano, tá?!).

xxxxxx

O prato feito de pascade, a deliciosa criação do chef Alexandre Bourdas

Café Pinson

Charmosíssimo e badalado, este café do Marais dedica-se a receitas veganas. E saborosas. O café da manhã tem granola artesanal, suco feito na centrífuga (varia cada dia), madeleines, bolos, pães de grãos, chás orgânicos, macchiato com espuma de leite de amêndoa. No almoço, pratos como purê de cenoura com quinoa e salada e bolinhos assados de grãos de bico com gergelim são algumas das opções do menu.

Cafe

Dentro do super charmoso Cafe Pinson

Sébastien Gaudard

Doceiro de talento reconhecido (e ex- Fauchon), Sébastien Gaudard foi eleito o melhor chef patissier de França em 2012. Comi um tremendo mil folhas (massa de leveza e crocância quase pornográfica) e adoraria ter mais dois estômagos para traçar as dezenas de pequenas jóias adocicadas como baba au rhum, tarte au citron, macarons e Saint-Honoré. Não dá para comer nada dentro da loja, então o negócio é comprar e se babar na rua.

Um clássico de Paris com os melhores doces para qualquer momento

Um clássico de Paris com os melhores doces para qualquer momento

Kunitoraya

O melhor udon que já provei até hoje (tá certo que nunca fui ao Japão…). A casa – sempre, sempre, sempre lotada e com fila que vira a esquina- é tocada por japoneses, fundada por japoneses e só tem japoneses na cozinha, o que garante a consistência e a alta qualidade. E que caldo, senhores, que caldo bem temperado!

O Kunitora-udon vem com carne de porco cortada em fatias finas, salsifis (tubérculo) e missô: comi o “baldinho” todo. Picante, o Curry-udon leva carne de boi e curry japonês. Não perca o excelente tempurá de abobrinha, camarão e cenoura.

Paris de todos, inclusive de excelente comida japonesa

Paris de todos, inclusive de excelente comida japonesa

Henri le Roux

Famosíssimo por seus caramelos perfeitos, a loja de Henri Le Roux na rue des Martyrs é especializada neles. Beurre Salé (meu preferido), citron vert, piña colada, laranja e gengibre, chá verde, cassis, framboesa negra são apenas algumas das opções.

xxxx

Caramelos de todos os sabores, imperdível

Coretta

Fora do roteiro turístico, em Batignolles, este restaurante comandado pela chef Beatriz Gonzalez é primoroso no uso de ingredientes sazonais e lindamente frescos. Pratos belos e de execução magistral – e o menu de almoço custa apenas 39 euros. Comi um dos melhores timos da minha existência, de interior cremoso e exterior crocante, acompanhado por cogumelos pied de mouton, fava tonka, salsifis (tubérculo) e avelãs.

Além do incrível menu, o ambiente e a vista do xx também fazem valer a pena

Além do incrível menu, o ambiente e a vista do Coretta também fazem valer a pena

Terra Corsa

Empório e restaurante dedicado aos produtos da Córsega. Prove os vinhos – desconhecidos no Brasil -, as cervejas, a tábua de embutidos e queijos e os imperdíveis quiches altos e leves, preparados com bruccio, queijo fresco de ovelha (o de bruccio e menta que provei, olha…). Não perca também a torta de farinha de amêndoas coberta por peras caramelizadas. O menu de almoço (quiche + vinho ou quiche + sobremesa) sai por 24 euros (42 Rue des Martyrs, 75009 Paris).

Vinhos inusitados para nós e delícias em formato de queijos e frios no Terracota

Vinhos inusitados para nós e delícias em formato de queijos e frios no Terra Corsa

Le Pantruche

Pequeno bistrô de decoração meio cafona e mesas absolutamente disputadas – reservar é imprescindível -, o Le Pantruche tem menu diário: sua cozinha trabalha apenas com produtos sazonais, o que garante frescor e novidades constantes. Comida deliciosa, ponto de cocção impecável, criatividade com apego à tradição culinárias francesa, preço boníssimo (menu de almoço 34 euros). Fui invadida pela alegria ao provar os aspargos brancos ao molho de manteiga au citron e amêndoas em lascas. Então, quando dei a primeira colherada no aclamado suflê de Grand Marnier com caramelo salgado, quase soltei um palavrão: que leveza surreal.

Frango assado com vegetais frescos do

Frango assado com vegetais frescos do Le Pantruche

Clamato

Pirei. Apenas isso. A casa simples de serviço simpático e corrido lota poucos minutos depois de abrir as portas – não aceita reserva, então o negócio é chegar cedo. Frutos do mar e peixes são os protagonistas do cardápio alterado diariamente, que funciona no sistema de porções para compartilhar (em geral, bem servidas e entre 10 e 16 euros, cada).

O filho mais novo da família Septime faz total jus ao sucesso: impossível não se encantar pela vivacidade e sabor. O ponto de cocção dos ingredientes é outra maravilha: legumes que estalam sob a pressão dos dentes, peixes que guardam toda a textura. Apaixonante a simplicidade do Polvo, beterraba e bacon defumado e o vigor das finas fatias de haddock misturadas a couve e brócolis na grelha.

Ambiente simples e aconchegante que acompanha o diverso menu da casa

Ambiente simples e aconchegante que acompanha o diverso menu da casa

Compartilhe
0
Ailin Aleixo

Ailin Aleixo

Autora chez Viajando - Expedia Brasil
Ailin Aleixo é jornalista e há 15 anos escreve sobre gastronomia. Já foi editora de revistas como Viagem e Turismo, Época e VIP. Há seis anos criou um dos maiores sites de gastronomia e turismo gastronômico do país, o Gastrolândia.
Ailin Aleixo

Últimos posts por Ailin Aleixo (veja todos)