Compartilhe
0

Os melhores cafés de Curitiba

Visitar cafés e curtir um friozinho: taí duas boas coisas para se fazer durante uma viagem para Curitiba. Não só porque a cidade é conhecida por ter um clima mais fresquinho em comparação ao restante do Brasil, mas também por esse mesmo motivo – ou talvez porque tanto Curitiba quanto seus habitantes compartilhem desse mesmo perfil reconhecidamente reservado e também extremamente exigente. O fato é que a cidade se tornou uma capital amigável para cafés, confeitarias e uma gastronomia local curiosa, inventiva e deliciosa. Seja porque o frio convida ou porque a paisagem verde e cheia de araucárias faz uma boa decoração, muitos dos cantinhos mais aconchegantes e gostosos para se tomar café que eu tenha conhecido em viagens e andanças pelo Brasil estão na capital paranaense. E, depois de algumas viagens visitando alguns dos melhores cafés em Curitiba, achei que valia a pena dividir com vocês algumas das minhas apostas preferidas – que, nem de longe, resumem as delícias que a cidade tem para oferecer. Mas já é um bom começo, não?

Curitiba é uma cidade com ótimas opções de passeios para todos os gostos; os que vamos falar aqui são especiais para quem ama um bom café

Curitiba é uma cidade com ótimas opções de passeios para todos os gostos; os que vamos falar aqui são especiais para quem ama um bom café

Façam como nas melhores cafeterias: puxem uma cadeira, fiquem à vontade e aproveitem a leitura!

Café Arte & Letra 

Tive dois cantinhos preferidos em Curitiba e esse foi um deles! Acho que, de todos os espaços de café em Curitiba que eu tive o prazer de conhecer – e eu tenho a certeza de não ter desbravado nem um tico do delicioso potencial gastronômico da cidade –, esse é o que vale aquele desvio no seu roteiro de viagem por Curitiba.

Este delicioso café fica dentro de uma charmosa livraria no bairro do Batel

Este delicioso café fica dentro de uma charmosa livraria no bairro do Batel (Crédito da foto: divulgação)

Tudo começa pelo lugar: o Café Arte & Letra fica em um espaço recuado atrás da Casa da Pedra, no charmoso bairro do Batel. O cantinho é elegante, reservado e, como um plus das melhores cafeterias, fica dentro da livraria de mesmo nome, igualmente charmosa (e note: não sei se isso é regra, mas muitas das livrarias curitibanas que eu visitei contam com um acervo bem considerável de autores locais, o que eu acho uma ótima forma de homenagear e divulgar a literatura produzida na cidade. Então, vale a pena parar por ali e levar um livro como souvenir!).

Tudo na casa é aconchegante. O café oferece salgados, pães, sucos, sanduíches – o destaque vai para o almoço, com criações interessantes, como panquecas com recheio de curry com vegetais… Não deixe de provar os bolos, especialmente os que levam pecãs! Lá, também vinhos e cervejas artesanais, mas, no que se refere a café (afinal, o post é sobre isso, não?), o da casa é bastante conceituado, tanto que a cafeteria da Arte & Letra é figurinha frequente no Festival Drink Good Coffee.

Dica: quando você for lá, veja se há algum evento agendado na casa. Por ter um jardim enorme e charmoso, não raro a Arte & Letras organiza alguma atividade cultural – e, se o tempo estiver bom, é um passeio delicioso!

Endereço: Livraria Arte & Letra (Alameda Presidente Taunay, 130 –  Batel – Curitiba – PR). Telefone: (41) 3039-6895

Rause Café

Cafés com desenhos simpáticos na espuma: como não amar?

O Rause Café faz desses. E melhor: não só faz, como ensina a fazer. Quem ama desenhos na espuma do café pode ir correndo até o site deles: não só a casa é especialista em vários grãos de café – e que você pode levar para casa – como também cede o espaço para alguns cursos e workshops, e um deles foi uma oficina de “Latte Art”. Preços? Super em conta!

As gracinhas na espuma do café são apenas a ponta do iceberg; o Rause Café é repleto de delícias (Crédito da foto: divulgação)

As gracinhas na espuma do café são apenas a ponta do iceberg; o Rause Café é repleto de delícias (Crédito da foto: divulgação)

Mas, na verdade, essa descrição é só para apresentar a Rause Café com ela é: uma cafeteria charmosa e que sabe do que está falando quanto o assunto é gastronomia e guloseimas. Por isso, se você topar com uma em Curitiba (eles têm dois endereços), vale a pena entrar e se render ao cardápio. As opções são deliciosas, e vão de comidinhas, crepes, saladas e risotos até os doces – os muffins de pistache são de comer chorando. A casa tem uma boa oferta de vinhos (que super combina com o clima de Curitiba), mas os cafés são o ponto forte. Você pode escolher entre os grãos que a Rause comercializa (que já foram elogiados em alguns concursos de baristas no passado) ou, se quiser, entre os drinks à base de café – eu adorei um chamado French Kiss, bem sugestivo!

Endereço: Alameda Doutor Carlos de Carvalho, 696 e Rua Francisco Rocha, 198.

Lucca Café

Lembra que eu falei que tive dois cafés preferidos em Curitiba? Pois é, esse é o segundo.

O Lucca fica em uma ruazinha escondidinha e charmosa no bairro do Batel. Eu o descobri por acaso, enquanto procurava um teto aconchegante fugindo de um dia chuvoso e cinzento em Curitiba. E entrei no café inspirada pelos sanduíches e hambúrgueres da casa, que uma alma feliz saboreava deliciosamente da varanda.

Além do ótimo café, o Lucca tem um espaço descolado onde acontecem vários eventos (Crédito da foto: divulgação)

Além do ótimo café, o Lucca tem um ambiente bacana e descolado que convida todos à criatividade (Crédito da foto: divulgação)

Fica a primeira dica: o Lucca tem hambúrgueres excelentes – arrisco dizer que o de picanha está entre os melhores da cidade, na minha modesta opinião.

Também há um espaço super agradável e, para a alegria de nós, conectados, com um wi-fi estável e boa velocidade de internet. E essa talvez seja uma boa razão de a casa ser tão bem frequentada: em uma tarde lá, víamos artistas, empresários, reuniões de pauta, workshops de gastronomia… É um espaço excelente para reunir e encontrar pessoas e boas ideias.

Para quem curte vinhos, a casa oferece também uma boa oferta de rótulos, tanto na garrafa quanto na taça, que combinam lindamente com os hambúrgueres e pratos de massa.

Parece bobagem, mas vale a dica: não deixe de tomar uma das 18 variedades de café da casa (Crédito da foto: divulgação)

Parece bobagem, mas vale a dica: não deixe de tomar uma das 18 variedades de café da casa (Crédito da foto: divulgação)

Mas o café é mesmo o “tchan” da casa: são mais de 18 tipos de grãos torrados artesanalmente no próprio local – e, a isso, somam-se as diversas possibilidades de drinques e combinações. O cardápio chega a 35 opções generosas. Eu, fácil, voto no cappuccino da casa e no chocolate quente, preciosidades deliciosas.

Para os muito apaixonados, a Vivah Experiências Gastronômicas, bastante conhecida em Curitiba, organiza periodicamente cursos super em conta sobre “Desvendar Cafés”, com curiosidades e degustações especiais na Lucca. Eu estava lá durante um dos eventos – vale super a pena!

Endereço: Rua Presidente Taunay, 40 – Batel – Curitiba

CarameloDrama

Na mesma rua do Lucca, só que um pouco mais afastada, está a Caramelodrama, que é daquelas confeitarias que só pelo nome já dá vontade de conhecer. Vale a visita: os doces são preparados com uma enorme delicadeza na forma e no sabor: são tartelettes, mil folhas, tiramissús e cupcakes de dar água na boca. Tudo na casa, desde a decoração intimista até todos os pães e doces, saem das mãos da chef Carolina Garofani, que é formada na Itália. Só que, antes, ela era designer, e por isso traz para a confeitaria esse dom de leveza nos traços, não só dos pratos, mas como de suas criações.

Doces de encher os olhos e o estômago, acompanhados de um bom cafézinho: bem -vindo à Caramelodrama! (Crédito da foto: divulgação)

Doces de encher os olhos e o estômago, acompanhados de um bom cafézinho: bem -vindo à Caramelodrama! (Crédito da foto: divulgação)

Os cafés, ali, são preparados com carinho e, se não são os protagonistas da casa, são excelentes companheiros de cena para acompanhar os doces e salgados do cardápio. Para ir e repetir.

Endereço: Rua Presidente Taunay, 434

Brooklyn Coffee Shop 

Descolado e, quase sempre, com ótima música: essa é a “pegada” do  Brooklyn, que, não raro, consegue reunir gente tocando um som (ou ouvindo vitrola!) na rua, de pé, com um belo copo de café na mão. Fica pertinho do Passeio Público de Curitiba, cercado de lojas de brechós e móveis antigos, que também rendem uma visita curiosa para quem gosta desse universo.

Nem só de bom café vive o Brooklyn; o menu é de dar água na boca (Crédito da foto: divulgação)

Nem só de bom café vive o Brooklyn; o menu é de dar água na boca (Crédito da foto: divulgação)

No quesito café, a casa tem um quarteto de sucesso: expresso, mocca, Irish Coffee e cappuccino. Todos são deliciosos e caem muito bem quando acompanhados pelos pratos da casa, como os sanduíches, brownies e cookies. Fui algumas vezes, mas gostei mais do ambiente da casa à noite, quando grupos de pessoas se reúnem – só que, dessa vez, em volta das cervejas e não dos cafés – e ficam até boas horas da noite em um papo bem agradável. É um dos melhores lugares para unir bom café e boa conversa.

Endereço: Rua Trajano Reis, 389 – São Francisco – Curitiba

Cafés coloniais

Comer à vontade, até cair de lado: essa era a minha experiência quando fui à primeira vez a um café colonial e, bem, é só ir ao sul do Brasil para morrer de desejo de se render a tanta abundância de novo! E, se Curitiba já é tão pródiga em cafés deliciosos, não seria diferente também com os cafés coloniais.

Uma opção que eu visitei foi o Brioche (Brioche (Av. Sete de Setembro, 4416 – Batel), que funciona por todo o dia e dá a opção de comer tanto por peso quanto à vontade – fica a critério do apetite do freguês. Todos os produtos são de fabricação própria da casa e o buffet é farto em pães, bolos, doces e guloseimas. Outra, bem gostosa, é a Aquarius Gastronomia, cujo café colonial é oferecido de quinta à domingo na parte da tarde, com uma opção farta, fartíssima, de bolos, pães, frutas e sucos.

Para fechar, há também o Saint Germain, com quatro unidades nos bairros do Bigorrilho, Champagnat, Ecoville e Batel – eu fui nesse último. O buffet, também generoso, serve produtos de fabricação própria e sempre fresquinhos, incluindo pães especiais e croissants. Salgadinhos como quibes, coxinhas e bolinhas de queijo também marcam presença por aqui, bem como bebidas diferentes, como sucos de clorofila e frozen coffee. A quem interessar possa, o Saint Germain também oferece várias opções light (mas convenhamos: nesse caso, as versões light devem ajudar a diminuir a culpa, porque nem combinam com cafés coloniais, né?). 🙂

Compartilhe
0
Clarissa Donda
Siga-me no

Clarissa Donda

Author chez Viajando - Expedia Brasil
Jornalista, marqueteira digital e curiosa por fotografia e por histórias inusitadas pelo mundo, que conta no seu blog, o Dondeando por aí (http://dondeandoporai.com.br/). Hoje mora em Londres com suas duas gatinhas, vive com uma mochila nas costas, já publicou um livro, plantou uma árvore, anda de patinete ao invés de bicicleta porque é mais divertido e escreve sobre novidades "in loco" da Europa para vários veículos.
Clarissa Donda
Siga-me no

Últimos posts por Clarissa Donda (veja todos)