Compartilhe
0

Tudo o que você precisa saber para viajar pelas montanhas do Espírito Santo

A região das montanhas capixabas é muito procurada durante o inverno, principalmente por quem vive em Vitória, afinal, menos de 100 quilômetros separam a serra da capital do estado. Com temperaturas mais amenas e ares europeus, o destino é perfeito para ser visitado praticamente o ano todo.

Se você procura o que fazer no Espirito Santo, um roteiro de viagem por Venda Nova do Imigrante, Pedra Azul, Domingos Martins e Santa Teresa é perfeito para quem gosta de montanhas e quer passar uns dias tranquilos descansando junto à natureza.

Como chegar até as Montanhas Capixabas?

Em uma viagem para o Espírito Santo, a melhor maneira de conhecer a região das montanhas é alugando um carro em Vitória. Assim, você terá mais liberdade para se locomover pelas cidades. Saindo da capital pela segunda ponte, basta seguir pela BR 262 e logo você chegará a Venda Nova do Imigrante. Dica: deixe Domingos Martins para o final do seu roteiro para poder curtir o fim de tarde e a noite na cidade.

Venda Nova do Imigrante

Um dos aspectos mais marcantes das Serras Capixabas é sua história envolta em muita natureza. Essa área sofreu fortes influências europeias graças à sua colonização feita principalmente por alemães e italianos.

Venda Nova do Imigrante é a cidadezinha com mais traços da imigração italiana na serra capixaba (Crédito da foto: www.flickr.com/Vinicius Depizzol - Creative Commons License)

Venda Nova do Imigrante é a cidadezinha com mais traços da imigração italiana na serra capixaba (Crédito da foto: www.flickr.com/Vinicius Depizzol – Creative Commons License)

Isso fica muito claro quando chegamos a Venda Nova do Imigrante. A cidade até hoje mostra seus fortes laços com a cultura italiana e é referência no estado como um ótimo destino para o agroturismo.

Tudo gira em torno das diversas propriedades rurais que tanto vendem seus produtos artesanais quanto abrem suas portas para visitação. Entre tantas opções para conhecer, vale visitar a fazenda da Família Carnielli e provar seu tradicional café e seus queijos artesanais. Tudo é produzido localmente, com muitas histórias para contar e aromas irresistíveis.

Outro passeio interessante é a fazenda da Família Busato, onde é produzida a famosa cachaça Temosinha e de diversos licores. A Temosinha é uma cachaça jovem, produzida artesanalmente em tachos de cobre e que pode ser encontrada envelhecida em barris de diferentes tipos de madeira, cada uma com seu característico sabor.

Pedra Azul

Conhecendo as montanhas no Espirito Santo, o principal cartão postal da região não pode ficar de fora do seu roteiro. O parque estadual da Pedra Azul é um ponto de preservação da mata atlântica local. Muitos moradores garantem que esse nome surgiu graças à coloração azulada que a pedra aparenta ter dependendo da hora do dia e da incidência do sol.

O nome do parque diz tudo: a grande Pedra Azul se destaca em meio à paisagem nesta região (Crédito da foto: Natalie Soares)

O nome do parque diz tudo: a grande Pedra Azul se destaca em meio à paisagem nesta região (Crédito da foto: Natalie Soares)

Para chegar ao Parque da Pedra Azul e à Rota do Lagarto, fique atento às placas que indicam o quilômetro 89-90 de entrada na BR 262. Não tem como errar. A saída também tem placas indicando a fazenda Fjordland (que oferece cavalgadas e outras atrações) e o restaurante Don Lorenzoni Due.

Além da chance de apreciar a beleza natural do parque e tirar muitas fotos da própria Pedra Azul, essa área também oferece diversas atividades relacionadas ao ecoturismo como trilhas, arvorismo, e passeios a cavalo.

Cantinhos assim, que inspiram paz e sossego em meio à natureza, são o principal atrativo de Pedra Azul (Crédito da foto: Natalie Soares)

Cantinhos assim, que inspiram paz e sossego em meio à natureza, são o principal atrativo de Pedra Azul (Crédito da foto: Natalie Soares)

Outra característica que merece destaque é a gastronomia regional. Com aquele ar de interior, a comida ganha um toque especial. Tenho três dicas para compartilhar. A primeira é o restaurante Don Lorenzoni Due, quase no meio da Rota do Lagarto, já dentro do parque. Seu ambiente é uma gracinha e as carnes servidas são bem saborosas.

A segunda é para quem gosta de cervejarias artesanais: não deixe de conhecer a Altezza para degustar seus diferentes rótulos.

Por fim, continuando ainda na Rota do Lagarto, passe também pela Marietta, uma delicatessen cheia de deliciosos produtos locais e importados. Seu jardim já mereceria uma visita por si só.

Domingos Martins

Considerada a cidade mais alemã do estado, Domingos Martins é também um dos destinos mais visitados. Ela ainda guarda muitos atributos e tradições graças a sua colonização. Até um Monumento ao Imigrante Alemão foi construído em frente a uma igreja luterana bem na praça central, ponto de encontro de moradores e visitantes.

Esqueça a Itália de Venda Nova do Imigrante; aqui, a cidade é marcada por traços da cultura alemã (Crédito da foto: Natalie Soares)

Esqueça a Itália de Venda Nova do Imigrante; aqui, a cidade é marcada por traços da cultura alemã (Crédito da foto: Natalie Soares)

A rua Roberto Kautsm Sabach, em Domingos Martins, fica próxima à praça central da cidade e possui diversas lojas e restaurantes com temática alemã. É nessa rua que se encontra um poste típico alemão – a lenda diz que se duas pessoas se beijarem ali serão felizes para sempre. É lá também que ficam os melhores restaurantes típicos da cidade, onde é possível comer joelho de porco, linguiças e tomar cerveja artesanal.

Nas ruazinhas de Domingos Martins você vai encontrar ótimos restaurantes para degustar o melhor da comida alemã (Crédito da foto: Natalie Soares)

Nas ruazinhas de Domingos Martins você vai encontrar ótimos restaurantes para degustar o melhor da comida alemã (Crédito da foto: Natalie Soares)

Uma curiosidade interessante: a cidade possui diversas placas espalhadas pelo centro ensinando algumas palavras em alemão.

Santa Teresa

Outra belezura bem guardada nas serras capixabas é a pequena Santa Teresa. Quem a conhece sempre volta com relatos apaixonados. Como toda boa cidade do interior, o centro histórico é o seu grande coração e lá é possível encontrar vários casarios tombados do século 19. Não deixe de passear pela Rua do Lazer e visitar a Igreja Matriz. O Museu Mello Leitão e a varanda dos colibris de Augusto Ruschi complementam o roteiro de um belo passeio pela cidade.

Com mais tempo na agenda, siga a Serra do Caravaggio, para conhecer o Circuito Caravaggio, formado por várias atrativos turísticos e pequenas lojas de produtores locais. Termine o passeio na rampa do voo Livre Amauri Fernandes. A vista do alto é linda!

Esse roteiro pelas montanhas capixabas é uma opção bem econômica para quem quer viajar pelo Brasil gastando pouco e conhecendo belos cenários. É perfeito para quem vai passar uns dias em Vitória e ainda pode ser estendido para as praias mais famosas do estado. No caminho, você vai encontrar algumas pousadas na serra bem rústicas e muito charmosas.

Certamente vale reservar uma semana para conhecer essa região com calma.

Compartilhe
0
Natalie Soares
Siga-me no

Natalie Soares

Autora chez Viajando - Expedia Brasil
Pós-graduada em Mídias Sociais pela FAAP, é autora do blog de viagem e tecnologia Sundaycooks e fundadora da ABBV (Associação Brasileira de Blogs de Viagem). Atualmente trabalha como editora de conteúdo online e vive fazendo planos para a próxima viagem.
Natalie Soares
Siga-me no

Últimos posts por Natalie Soares (veja todos)