Londres: comendo bem sem gastar muito

Londres é uma cidade cara. Segundo algumas pesquisas, a mais cara do mundo. Para nós, brasileiros, não só o custo de vida pesa, mas também a moeda, visto que uma libra é mais de quatro reais. Então, a menos que você nade em grana, não dá pra bobear.

Fiquei poucos dias em Londres, mas o suficiente para comer bem, me divertir e não pedir concordata. Alguns lugares são bem conhecidos, como o delicioso Borough Market; outros, não tão turísticos, caso do indiano Dishoom. Concordo com meu amigo quando diz que “quem converte, não se diverte”. Mas também não acho nada divertido ter um ataque cardíaco com a fatura do cartão, né não?

Borough Market

O mais maravilhoso mercado de comida de Londres. Ali, abundam barracas com especialidades frescas, boas e baratas. De paellas à brownies, de sandubas vegetarianos à costelinha, por menos de 13 libras faz-se uma bela refeição. Passear pelos corredores repletos de lojas de queijos, produtos com trufas, cidra, embutidos, peixes, cogumelos, completa o programa. Aliás, compre algumas coisas, leve para casa/hotel e faça delas seu jantar.

Poderia passar uns 15 dias apenas comendo ali. Sério.

xxxxxx

Uma das várias barraquinhas desse maravilhoso mercado, tudo é fresco, o preço é acessível e o ambiente convidativo, tanto para comer quanto para simplesmente passear (Foto: Ailin Aleixo)

Covent Garden

Apenas às quintas, das 11 da manhã até 7 da noite, rola o food market em Covent Garden, um dos pontos mais agradáveis da cidade. O espaço reúne dezenas de restaurantes, feira de arte, artistas de rua e muitos, muitos turistas, mas é uma das regiões mais gostosas pra sentir a cultura da cidade.

Ponto de parada necessário em Londres, o Covent Garden

Ponto de parada necessário em Londres, o Covent Garden, além de ser uma das regiões mais gostosas pra sentir a verdadeira cultura da cidade, ainda conta com essa feira semanal de brilhar os olhos (Foto: Ailin Aleixo)

Dishoom

Fui num domingo, no jantar. Uma hora de espera. Na fila, a maioria era de indianos. O aroma dos temperos invadia meu cérebro mesmo do lado de fora do moderno e bonito restaurante especializado na comida de Bombay, feita por cozinheiros de Bombay. Bastou dar a primeira garfada para entender a razão da fila: tremenda comida!

Dishoom é o tipo de lugar que seria a extensão da minha casa se morasse em Londres: delicioso, barato, agradável. Pena que tenhamos tão poucos – e medíocres, na maioria – restaurantes indianos no Brasil. Prove o Vada pav (3,90 libras), o “burger” de Bombay, tipo de comida encontrado em todos os cantos. É um sanduíche de batata cozida e temperada com pimenta e especiarias, levemente picante, coberto por chutney.

Porque indianos também comem hambúrguer

Porque indianos também comem hambúrguer, o Vada pav, claro que uma versão vegetariana dessa delícia, mas surpreende com o gosto das especiarias e molho especial (Foto: Ailin Aleixo)

Honey & Co

Pequeno restaurante comandado por um casal de cozinheiros nascidos em Jerusalém, a casa serve especialidades do Oriente Médio e vive lotado. Aromáticas, fartas, bem feitas, as receitas são um exemplo de equilíbrio, caso do Frango envolvido no melado de romã e servido com couscous e salada de pistache (14,50 libras). Há também almôndegas de cordeiro cozidas no molho de tomate e damasco e sardinhas assadas, recheadas com  laranja e tomilho, com tomates, pinoli e uvas pelo mesmo valor.

xxxxx

O famoso prato de frango com melado de romã  do Honey & Co, um pouco da gastronomia do Oriente Médio às mesas londrinas (Foto: Ailin Aleixo)

Pizza Pilgrim’s

Ao estilo napolitano, individual, com pouco e bom molho e coberturas que priorizam a qualidade dos ingredientes e não a quantidade, essa rede (duas lojas e uma barraca que vai os mercados de Londres) é um destino certo nos dias em que precisamos de comfort food acima de tudo. Boas, de massa leve, custam de 5 a 9,50 libras cada. Na foto, está aMargherita e a de fior di latte, mussarela, cogumelos portobello e azeite trufado. A imprensa local aponta como uma das melhores pizzarias da cidade.

xxxxxx

Umas das melhores pizzarias de Londres, a preços justos e pratos diversificados (Foto: Ailin Aleixo)

e5 bakehouse

Tudo o que comi beirava o impecável – e olha que sou chata. Localizada beeeeeeem fora da rota turística, numa região absolutamente hipster (o que mais se vê são barbas imensas e mais bem tratadas que meu cabelo, bicicletas vintage e muuuuuuuitos estúdios de artistas), demanda uns 15 minutos de metrô/trem do centro. Não se importe e vá. Vale mesmo!

Utilizando apenas ingredientes de pequenos produtores, orgânicos e locais, a e5 faz belíssimos pães e doces delicados, com quantidade adequadíssima de açúcar e muita técnica. O Carrot Cake, ao estilo americano, era uma sinfonia afinada de maciez e especiais, com cobertura leve e cremosa de bom cream cheese. A torta de pecã, com massa de amêndoas, tinha creme suave, quase um abraço.

xxxxxxxx

O e5 bakehouse é um desses lugares mágicos, onde a combinação de ambiente e boa comida é perfeita, aqui o famoso bolo de cenoura (Foto: Ailin Aleixo)

Ailin Aleixo

Ailin Aleixo

Autora chez Viajando - Expedia Brasil
Ailin Aleixo é jornalista e há 15 anos escreve sobre gastronomia. Já foi editora de revistas como Viagem e Turismo, Época e VIP. Há seis anos criou um dos maiores sites de gastronomia e turismo gastronômico do país, o Gastrolândia.
Ailin Aleixo

Últimos posts por Ailin Aleixo (veja todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *