Compartilhe
0

Festivais de música para curtir na Europa e nos EUA

 

É só a primavera começar a dar seu adeus e o verão esquentar os termômetros no hemisfério norte para começar a pipocarem festivais de música na Europa e nos Estados Unidos. Com dias mais longos, tempo ensolarado e todo mundo de férias, é a temporada ideal para fazer as malas e ir correndo para aproveitar não só o turismo, mas a chance de ver sua banda ou artista preferido de perto, em festivais que são, mais do que shows de música, pura experiência.

Quem já foi a um sabe que não estou exagerando: pelo menos na Europa, a agenda  musical fica lotadíssima nessa época do ano e. A partir de junho, escolha uma data do calendário e é quase certo de ter pelo menos um festival bacaníssimo acontecendo em algum lugar da Europa naquele dia. Com tanta opção, é como se os festivais “concorressem” entre si, cada vez mais trazendo um line-up mais diferente, uma proposta mais inovadora, uma locação mais exuberante (que pode ser na praia, em um deserto ou no alto das montanhas).

Há opção para todos os gostos: da batida eletrônica ao punk rock, passando até mesmo pelo jazz. Então, se você é do time que viaja o mundo atrás do seu artista favorito, confira na agenda dele onde e quando é o próximo show. Mas, se você quer ter uma experiência única associada à sua viagem, confira as atrações confirmadas em alguns dois festivais mais bacanas (e doidos, em alguns casos) que vão rolar por essa temporada.

Sonar – Barcelona

O Sonar já fez seu nome pelo mundo como um dos centros da música eletrônica, apresentando grandes nomes do gênero musical para delírio de quem curte esse tipo de batida. Barcelona, por sua vez, já fez sua fama internacional também, por outros motivos igualmente artísticos: é uma das cidades mais visualmente impactantes da Europa, e também um hub do que há de mais badalado no continente (e quiçá no mundo, né?). Todo motivo é um bom motivo para fazer uma viagem para Barcelona!

Crédito da foto: www.flick.com/oh-barcelona - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flick.com/oh-barcelona – Creative Commons License

Por isso, vale a pena visitar a cidade em junho, quando estas duas forças se encontram. Os dias de festival transformam completamente a dinâmica e a atmosfera da cidade, e Barcelona vira também o epicentro do que há de mais atual no universo eletrônico. Tanto que hoje, mesmo havendo outras edições do Sonar mundo afora – inclusive no Brasil –, a simbiose entre o evento e a cidade é inegável, e o festival, que começou com música pura e simplesmente, evolui para uma série de acontecimentos paralelos que incluem exposições artísticas, feiras de discos e até o SonarCinema, em que diversas telas espalhadas exibem documentários, videoclipes e curta-metragens. Portanto, prepare-se para uma Barcelona lotada – a cidade chega a receber em torno de 130 mil turistas.

Vale super a pena, para quem gosta de badalação, de novidades e, sobretudo, de Barcelona: a brincadeira começa na Gran Via, com diversas exposições, e termina, para delírio absoluto dos fãs, nos principais palcos do Sonar. Para os momentos de silêncio e paz, dá sempre para fazer aquela visita básica à Sagrada Família e ao Park Güell, mas uma coisa é certa: você pode até escolher se quer música para acompanhar ou não, mas onde quer que você for, Barcelona é sempre puro deleite para os olhos. Sempre.

Quando: 18 a 20 de junho

Onde: Barcelona, Espanha

Quanto: 195 euros o passe para os três dias no site oficial do Sonar

Quem vai: The Chemical Brothers, Duran Duran, Autechre, Skrillex, Hot Chip, Die Antwood

Umbria Jazz – Perugia

Eu fui à edição de 2013, e devo dizer que o Umbria Jazz me conquistou como toda boa paixão de verdade: aos pouquinhos e constantemente. Eu havia chegado a Perugia, capital da Umbria, uma semana antes do início do festival, de modo que eu comecei a ver os preparativos para o evento: palcos que iam sendo erguidos silenciosamente em meio às praças medievais do centro histórico da cidade. Foi engraçado ver aos poucos modernos equipamentos de som e igrejas centenárias se juntando em uma mesma foto.

Crédito da foto: Clarissa Donda

Crédito da foto: Clarissa Donda

Acho que é por isso que eu deixo aqui a minha dica: quando você for ao Umbria Jazz, tente chegar à cidade de Perugia alguns dias antes para curtir essa transformação. Vale muito a pena: a gente consegue sentir o gosto da cidade antes de ela se encher com os visitantes, e dá para perambular em paz pelas vielas medievais, pelas charmosas lojas de moda italiana e, especialmente, reservar uns poucos momentos para o dolce far niente em uma das inúmeras e belíssimas sacadas da cidade – o centro histórico de Perugia fica em uma colina, como mandam as boas tradições medievais desde os tempos em que muros pesados de pedra e cidades no alto de morros eram estratégias imprescindíveis para se proteger de invasões e ataques inimigos. E reza a lenda que Perugia sempre se envolveu em várias guerras com as regiões vizinhas.

Não se preocupe se você achar que vai ficar entediado antes do festival. Com tantos restaurantes deliciosos (experimente as trufas negras!), vinhos de primeira e um dos melhores museus de arte sacra da Itália, isso dificilmente vai acontecer.

Crédito da foto: Clarissa Donda

Crédito da foto: Clarissa Donda

Já nas vésperas do Umbria Jazz, o clima tranquilo dá lugar a uma leva de turistas e locais de todas as idades (não, jazz nem de longe é coisa de velho), que se reúnem nos restaurantes e bares recém instalados na cidade. E, quando o festival começa oficialmente, a cidade toda entra em festa: dois palcos gratuitos montados no corredor principal de Perugia animam o pessoal mais jovem com uma noite mais agitada (é badalação mesmo!). Enquanto isso, em um enorme espaço aberto próximo à rodoviária, fica o palco principal, onde se apresentam as maiores atrações do festival. Em tempo: o Umbria Jazz é famoso por revelar e reunir diversos nomes do jazz internacional; as edições anteriores já tiveram participações de Diana Krall, BB King, James Brown, Chet Baker, Natalie Cole, Miles Davis, entre muitos outros. Este ano é a vez de Tony Bennet e Lady GaGa – ela mesma!

Ah, e enquanto o centro histórico pega fogo com os shows agitados e bares lotados, na parte baixa de Perugia o palco principal fecha a noite com jazz de primeira qualidade ao ar livre, na deliciosa temperatura das noites de verão italianas – com direito a céu estrelado e a vista da cidade histórica iluminada lá em cima. Trocadilhos à parte, é um espetáculo, em todos os sentidos.

Crédito da foto: Clarissa Donda

Crédito da foto: Clarissa Donda

Quando: 10 a 19 de julho

Onde: Perugia, Itália

Quanto: Muitas das atrações são gratuitas e acontecem no meio da rua. Já os shows no palco principal custam a partir de 55 euros; mais informações no site oficial do Umbria Jazz

Quem vai: Tony Bennet, Lady GaGa, Caetano Veloso e Gilberto Gil, Herbie Hancock

Rock for People – Pilsen

Antes, preciso te contar duas coisas. A primeira é que o Rock for People é um dos festivais mais aclamados na República Tcheca, e é reconhecido por sempre apresentar grandes nomes no seu palco. A segunda é que os nomes das cidades da República Tcheca parecem esquisitos de pronunciar, mas um deles provavelmente deve soar familiar para você: Pilsen, uma cidadezinha vibrante e simpática a menos de duas horas de Praga, e que ganhou fama internacional por causa da fabricação de cerveja – em especial a do tipo Pilsener, que levou o nome da cidade.

Crédito da foto: www.flickr.com/mareksvanberg - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flickr.com/mareksvanberg – Creative Commons License

Junte agora essas duas informações e, voilá, eis que temos em 2015 mais um festival fantástico. É a primeira vez que a cidade sedia o evento e por um ótimo motivo: Pilsen foi considerada a Capital Europeia da Cultura de 2015.

Por tudo isso, a edição desse ano vai ser uma ótima pedida: além de trazer nomes consagrados e novos artistas para o palco – amantes do rock, uni-vos! –, o Rock for People também vai ser beneficiado pela atmosfera vibrante de Pilsen, cheia de universidades, com vida noturna bastante animada, eventos de rua e, claro, muitos bares com cervejas tchecas.

A expectativa é de que a maior parte dos eventos se concentre num determinado palco, mas atrações paralelas estão programadas para acontecer em outras partes da cidade, o que é um ótimo incentivo para bater perna e explorar. Uma chance excelente de unir o melhor dos dois mundos do turismo: boa música com uma visita a uma das cidades mais autênticas da Europa. Embora fique a uma curta de viagem de trem de distância de Praga, não deixe de se hospedar em Pilsen para curtir cada minuto do evento.

Quando: 3 a 5 de julho

Onde: Pilsen, República Tcheca

Quanto: A partir de 58 euros – saiba como comprar no site oficial do Rock For People

Quem vai: Motörhead, Pete Doherty, The Ting Tings, Parov Stellar, entre outros

Festival Internacional de Benicasim – Espanha

Se você nunca ouviu falar esse nome, não estranhe: a primeira vez que eu soube dessa dica foi por um espanhol, quando perguntei qual festival ele indicava lá pelas bandas do país dele.

Crédito da foto: www.flickr.com/rafaeletovar - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flickr.com/rafaeletovar – Creative Commons License

Pois é, ser menos conhecido do que os famosos Sonar, é um dos trunfos do FIB, como ele é chamado. O outro é o fato de ter o mar Mediterrâneo ali na esquina. Benicasim é uma cidadezinha na região de Valencia, a 250 quilômetros de Barcelona. O clima praiano transcende a faixa de areia e escorre também pelo festival, e o resultado é que tanto a programação quanto o público têm aquele ar descontraído, natural e luminoso, que só quem já passou verões na praia sabe como é. E isso explica, um pouco, porque o FIB é um dos melhores festivais de verão da Europa.

Para quem vai por causa da música: um grande palco traz o melhor do indie, eletro e rock, rock puro, da veia mesmo. A maioria das bandas são todas europeias – e acaba sendo uma ótima ocasião para a gente fazer aquela imersão cultural e ver o que rola de bom no cenário musical do velho continente. Mas, volta e meia, há também bandas convidadas de fora.

Crédito da foto: www.flickr.com/sarasune - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flickr.com/sarasune – Creative Commons License

Para quem tem um sonho antigo de participar de um dos festivais europeus, essa talvez seja a melhor pedida: não só o clima do público é mais relaxado – mérito da praia ali pertinho! –, mas também é uma experiência relativamente em conta: as principais ofertas de hospedagem são em barracas e acampamentos, preservando o tão conhecido estilo de “viver um show” europeu, mas não significa falta de conforto: há várias opções de glamping (camping com muito glamour, a versão chique dos acampamentos!), bem como alguns bons hotéis em Benicasim. Ah, e lembre-se: você está na costa espanhola, e isso é sinônimo de tapas deliciosas e saborosos frutos do mar a preços bem amigos, em comparação com o resto da Europa. Amando Benicasim em 3, 2, 1…

Quando: 16 a 19 de julho

Onde:  Benicasim, Espanha

Quanto: a partir de 50 euros por pessoa

Quem vai: Florence+The Machine, Prodigy, Noel Galagher’s High Flying Birds, Bastille, Blur, Kaiser Chiefs, Mark Ronson, Portishead, entre outros

Tomorrowland – Boom

Sonho de consumo de todo apaixonado por música eletrônica, o Tomorrowland é o maior festival do gênero no mundo e, apesar de já ter algumas edições realizadas aqui e ali (no Brasil, inclusive), o festival original acontece todo ano na cidade de Boom, que fica pertinho de Bruxelas e da Antuérpia, na Bélgica (vem cá: até o nome da cidade não parece saído de uma história contada?).

Crédito da foto: www.flickr.com/eddyvan3000 - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flickr.com/eddyvan3000 – Creative Commons License

Se você estiver na Bélgica entre os dias 24 a 26 de julho e quiser uma experiência diferente, considere conferir o festival ao vivo – mesmo que não curta o estilo da música. É só ver algumas das fotos de lá para saber o porquê: o Tomorrowland parece se passar em um mundo paralelo de contos de fada, com flores gigantes, borboletas iluminadas, vulcões ativos… e música! Não por acaso, é hoje um dos festivais-referência em termos de engajamento com o público.

Crédito da foto: www.flickr.com/globalstomping - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flickr.com/globalstomping – Creative Commons License

E o fato de ser sediado na Bélgica só ajuda: a localização é super central na Europa, o que atrai participantes de todos os países do continente, que chegam rapidamente de trem. A mistura de sotaques, fisionomias, idiomas e atitudes é uma festa à parte. E, bem, vamos combinar: a própria Bélgica, aquela fofura de país que parece ter saído de alguma página de conto de fadas, é o melhor lugar para sediar um evento desse!

Quando: 24 a 26 de julho

Onde:  Boom, Bélgica

Quanto:  Quase todos os ingressos já estão esgotados, mas você pode se inscrever na lista de espera; mais informações no site oficial do Tomorrowland

Quem vai: Armin Van Buuren, Avicii, David Ghetta, Alesso, Steve Aoki

Burning Man – Black Rock Desert

Eu confesso: pensei em fechar a lista falando apenas dos shows que rolam pela Europa. Mas a verdade é que quem fecha com chave de ouro a lista de shows bacanudos – e a temporada do verão de 2015 no Hemisfério Norte – é o Burning Man, que acontece no Black Rock Desert, um deserto ao norte do estado americano de Nevada, e que começa geralmente na última segunda-feira de agosto e termina uma semana depois, já em setembro.

Crédito da foto: www.flickr.com/jennifermorrow - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flickr.com/jennifermorrow – Creative Commons License

Esqueça qualquer referência como palco, bandas e fãs: o Burning Man é um festival, sim, mas totalmente diferente de tudo o que você conhece – e por isso mesmo, imperdível. Esculturas psicodélicas, construções inusitadas e todo o tipo de arte como forma de expressão (pinturas, desenhos, design, danças, música) você vê pipocando por todos os cantos. A paisagem ajuda: como é um deserto, todas as esculturas, pinturas e cores se ressaltam mais pela paisagem – parece que a gente está em outro mundo!

Crédito da foto: www.flickr.com/blmnevada - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flickr.com/blmnevada – Creative Commons License

O lema do festival é a auto expressão na sua forma mais radical: por isso, não se espante se você ver veículos customizados (no último ano, a atração do festival era um truck feito de Lego – mas que funcionava!), pessoas com fantasias malucas (ou sem roupa nenhuma, o que também é outro extremo igualmente eficiente) e um festival enorme de sombras, cores e luzes acontecendo tanto de dia como de noite. A bicicleta é o meio de transporte oficial dos burners e, com a ausência de luz artificial à noite no deserto, são equipadas com luzes neon de todo o tipo, criando um espetáculo visual à parte.

Só por isso, o Burning Man já seria o festival mais intenso de toda a lista. Mas o ápice do evento acontece no final: uma das regras é celebrar, mas sem “deixar rastros” – todas as instalações são incendiadas no final, incluindo uma grande escultura de um homem (daí o nome do festival), e o espaço do evento é devolvido ao deserto intacto, do jeito que estava antes.

Crédito da foto: www.flickr.com/hawaiisavy - Creative Commons License

Crédito da foto: www.flickr.com/hawaiisavy – Creative Commons License

Confesse: não dá aquela curiosidade de voar para lá no próximo só para ver como é? 🙂

Data: Última semana de agosto até a primeira segunda-feira de setembro

Onde: Black Rock Desert, Nevada, Estados Unidos

Quanto: neste ano, a taxa de entrada deve ficar em torno de US$ 390; saiba como adquirir ingressos no site oficial do The Burning Man

Compartilhe
0
Clarissa Donda
Siga-me no

Clarissa Donda

Author chez Viajando - Expedia Brasil
Jornalista, marqueteira digital e curiosa por fotografia e por histórias inusitadas pelo mundo, que conta no seu blog, o Dondeando por aí (http://dondeandoporai.com.br/). Hoje mora em Londres com suas duas gatinhas, vive com uma mochila nas costas, já publicou um livro, plantou uma árvore, anda de patinete ao invés de bicicleta porque é mais divertido e escreve sobre novidades "in loco" da Europa para vários veículos.
Clarissa Donda
Siga-me no

Últimos posts por Clarissa Donda (veja todos)