Compartilhe
2

Férias com crianças: o que fazer no México?

O mês de julho se aproxima e as famílias já estão planejando o que fazer nas férias com as crianças. Se você é um dos que está riscando os dias no calendário para esse período de descanso, já pensou em aproveitar para conhecer o México?

O Caribe mexicano é muito mais que sol, areia e mar azul - embora seja tudo isso também. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

O Caribe mexicano é muito mais que sol, areia e mar azul – embora seja tudo isso também. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Acho que não conheço ninguém que já tenha ido ao México e voltado sem se apaixonar. São várias as razões: o país tem praias de cartão postal e de protetor de tela de computador, daquelas que a gente usa para ficar sonhando com as férias enquanto trabalha; tem uma história fantástica, cujo legado ainda sobrevive em esculturas e ruínas dos povos indígenas antigos; tem um ritmo contagiante e um povo muito cortês, simpatia pura… Tem Frida Kahlo, tem comida mexicana, tem caveiras coloridas, e muita, muita cor – não é à toa que todo mundo que vai para lá México volta com fotos lindas.

Até quem não gosta de praia e piscina vai se entregar em um lugar como esses. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Até quem não gosta de praia e piscina vai se entregar em um lugar como esses. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Mas o que pouca gente sabe é que viajar para o México com crianças é um passeio perfeito para a família, porque o país possui excelentes cadeias hoteleiras e uma ótima estrutura para quem vai passear ou se divertir com os pequenos – além de ser uma ótima oportunidade de apresentá-los a uma cultura diferente e bem colorida (crianças adoram!).

Os hoteis que você vai encontrar na Riviera Maya, como o Gran Porto Real, são maravilhosos. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Os hoteis que você vai encontrar na Riviera Maya, como o Gran Porto Real, são maravilhosos. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Se o México é grande demais e cheio de cantinhos escondidos e interessantes, é a região turística de Cancun e da Riviera Maia que costuma estar na preferência dos viajantes. Eu tive o prazer de conhecê-la (e me apaixonar loucamente pelo local) há um tempo, e reafirmo: muita gente pensa no caribe mexicano como destino de lua-de-mel, mas eu achei super família também. E, desde então, já recomendei para vários amigos que foram para lá com seus pequenos e voltaram só com elogios.

Então, resolvi dividir as dicas e impressões com vocês também! 🙂

Chegando ao Caribe Mexicano: O aeroporto de Cancun é o mais próximo da região turística, e a maioria dos voos para o Caribe Mexicano saem da capital, Cidade do México, operados pela Aeromexico – mas a TAM já tem voos diretos para lá.

Essa é a vista que você vai ter quando seu avião estiver se aproximando de Cancun. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Essa é a vista que você vai ter quando seu avião estiver se aproximando de Cancun. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Escolhendo: Cancun ou Playa del Carmen? Cancun é a área mais famosa, com os maiores hotéis e grandes resorts all-inclusive, quase todos de frente para o mar de um azul-bebê impossível. Para quem só quer praia, piscina, hotel e vida mansa, é o lugar ideal – por exemplo, quase todos os hotéis possuem quartos duplos, áreas de lazer infantil, menus para os pimpolhos e até contratação de baby-sitters para ficar com os pequenos quando os pais quiserem sair à noite. Ou seja, quem procura uma estrutura de 5 estrelas e um padrão quase americano, vai gostar bastante!

Uma família e um resort: tem combinação melhor para as férias dos sonhos? (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Uma família e um resort: tem combinação melhor para as férias dos sonhos? (Crédito da foto: Clarissa Donda)

É perto de Cancun também que saem os passeios para Isla Mujeres, que tem águas cristalinas e onde é possível fazer snorkelling e até interagir com golfinhos – outro programão para toda a família.

Mas, cá entre nós, Playa del Carmen foi que bateu mesmo no meu coração. A cidade é uma fofura e fica a uma hora de Cancun (distância que pode ser percorrida de ônibus ou táxi) e tem uma aura turística, sim, só que mais “pé no chão”. Quer dizer, pé no chinelo, na calçada… Playa del Carmen tem a famosa 5ª Avenida (não confunda com o endereço homônimo de Nova Iorque – essa aqui tem sotaque latino e ritmo) onde tudo acontece: hotéis, restaurantes, lojinhas fofas… A praia, que é uma delícia, fica só a duas quadras de lá, de modo que você pode sair das lojinhas num doce balanço a caminho do mar… e voltar… e ir de novo…

É na 5ª Avenida, em Playa del Carmen, que tudo acontece. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

É na 5ª Avenida, em Playa del Carmen, que tudo acontece. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Playa é mais “fluida” neste sentido, e tem um ar mais descolado e tranquilo do que os resortões de Cancun. Passear por ali me lembrava uma mistura de Porto de Galinhas com Rua das Pedras, em Búzios, em que os turistas – e os pequenos – podem interagir mais com a cidade e reconhecer, no meio de tanto investimento turístico, um pouco do ritmo e do gosto genuíno mexicano.

Que tal um passeio de bicicleta com as crianças por Playa del Carmen? (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Que tal um passeio de bicicleta com as crianças por Playa del Carmen? (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Mas não pense que, por isso, Playa (assim, para os íntimos) não tem uma boa estrutura hoteleira: os resorts all-inclusive continuam presentes, mas também há os pequenos hotéis-boutique, com piscinas de estrutura de primeira para toda a família, só que próximos ao burburinho da rua. Dá para ir curtir o passeio (sem precisar de carro, aliás) e voltar quando quiser para o conforto da sua piscina.

Além disso, é perto de Playa del Carmen que estão os parques temáticos como o Xcaret, Xel-há e Xplor, obrigatórios para quem está viajando com as crianças (ou para quem, como eu, é uma criançona por dentro!).

Os parques temáticos: Talvez esse seja o maior chamariz para as crianças, e com razão: os parques na região da Riviera Maya são fascinantes: é quase como juntar uma experiência Disney de parques com a cor, o cheiro, a cultura e, principalmente, a exuberante natureza mexicana. Confesso: acho que vale cada centavo, e garanto que não serão só as crianças a se divertir.

São três parques principais, e cada um tem uma característica especial: e daí você decide qual vale a pena conhecer (ou, se há tempo, vale conhecer mais de um). O bom é que, como os parques possuem perfis diferentes, crianças de todas as idades vão se divertir.

Xcaret: É o parque maior, mais famoso e também mais versátil – possui atrações para famílias com crianças pequenininhas, de dois anos, por exemplo. Ele é cheio de atrações naturais, como rios subterrâneos para brincar e atividades com animais (há o famoso nado com golfinhos e programas com outros bichinhos).

Menina pintada xcaret mexico

No Dia de Los Muertos, as crianças podem pintar os rostinhos como caveiras no Xcaret. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

 

Além disso, o parque possui várias alas e shows de cultura mexicana em que explicam costumes da região, mostram encenações de rituais dos antigos povos indígenas e até apresentam iguarias típicas de diferentes regiões do país. Dependendo da época em que você for, há atrações especiais: eu fui na época do Dia dos Mortos, em que eles explicavam toda a cultura por trás das famosas caveiras mexicanas (e as crianças podiam pintar seus rostos à caráter!). É, na minha opinião, uma ótima pedida para levar os pequenos: além de ser um ótimo lugar para se divertir, ajuda a contextualizar através de brincadeiras e apresentações um pouco da cultura do país de forma bastante didática.

Xel-há: Esse já é um parque em que crianças um pouco maiores vão aproveitar mais. O Xel-há é, digamos, mais natural, mesclando as atrações do parque à verdadeira natureza da região. O destaque fica por conta dos cenotes, que são uma espécie de rios subterrâneos de água cristalina (e de cores estupidamente bonitas) onde dá para mergulhar – e sem claustrofobia, porque os mergulhos acontecem em espécies de cavernas verticais, a céu aberto e com um visual lindo.

Não vai aos parques? Aproveite para fazer outras atividades com as crianças, como andar de caiaque. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Não vai aos parques? Aproveite para fazer outras atividades com as crianças, como andar de caiaque. (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Xplor: O nome sugere: explore. Então, você começa o passeio atravessando um percurso de cenotes, cavernas e obstáculos, ora de jipe, ora remando, ora de pernas para o ar em uma tirolesa. Disparado, é o parque mais radical da região, e o passeio mais intenso. E também é o mais indicado para os pré-adolescentes, de 12 anos para cima.

As ruínas e a natureza: O que eu mais gostei dessa minha viagem ao México foi a possibilidade de curtir o lugar e ter tudo tão perto: natureza e história – mesmo a roupagem “para turista” não atrapalhou a experiência. E é por isso que acho que é um destino excelente para ir com crianças: elas aprendem sobre várias coisas numa viagem só.

É longe, mas, se você curte história, vale o passeio até as ruínas de Chichén Itzá.

É longe, mas, se você curte história, vale o passeio até as ruínas de Chichén Itzá.

Para quem quer ver ruínas, vale avisar que a mais famosa – e impressionante – é a de Chichén Itzá, mas também é a mais distante, e envolve algumas horas de viagem até lá (mas dá para ir de carro alugado ou de tour organizado, sem problemas). Para quem quer ver ruínas mais perto, uma boa é seguir para Tulum, alguns minutos de estrada ao sul de Playa del Carmen. O vilarejo, aliás, até merece mais tempo: as ruínas estão emolduradas por aquele mar azul impossível, e a cidade é de uma beleza rústica deliciosa, tanto para adultos quanto crianças.

Em Tulum, que é mais perto, as ruínas ficam de frente para o mar, literalmente.

Em Tulum, que é mais perto, as ruínas ficam de frente para o mar, literalmente.

 

Ah, e quando voltar de Tulum, seja indo para Playa del Carmen ou Cancún, pare na praia de Akumal, que fica no meio do caminho. Além de ser linda e igualmente rústica (com coqueiros a perder de vista), é também onde é fácil avistar tartarugas marinhas enormes nadando. Um ótimo motivo para ensinar as crianças a usar o snorkel, não?

Compartilhe
2
Clarissa Donda
Siga-me no

Clarissa Donda

Author chez Viajando - Expedia Brasil
Jornalista, marqueteira digital e curiosa por fotografia e por histórias inusitadas pelo mundo, que conta no seu blog, o Dondeando por aí (http://dondeandoporai.com.br/). Hoje mora em Londres com suas duas gatinhas, vive com uma mochila nas costas, já publicou um livro, plantou uma árvore, anda de patinete ao invés de bicicleta porque é mais divertido e escreve sobre novidades "in loco" da Europa para vários veículos.
Clarissa Donda
Siga-me no

Últimos posts por Clarissa Donda (veja todos)