Volta ao mundo no Dia Mundial do Turismo

Atenção: esse é um post comemorativo e especial, daqueles para você favoritar com carinho! 🙂

É que nessa nessa semana se comemora o Dia Mundial do Turismo, e, como bons viajantes que somos, resolvemos “enforcar” os dias e comemorar o turismo nessa semana toda. E acreditamos que a melhor forma de fazer isso é publicar um post especial e bastante inspirador para fazer você morrer de vontade de arrumar sua mala e ir conosco comemorar a vida e as viagens por esse mundo enorme e lindo em que vivemos.

Fizemos uma lista só com viagens incríveis, dessas que a gente baba nas fotos e sonha em um dia fazer. São 12 viagens, 12 destinos, 12 ideias, uma para cada mês do ano e todas escolhidas a dedo, considerando a melhor época do ano para visitar cada um desses lugares. Tem inspirações para fazer turismo no Brasil e no mundo, do jeito que você quiser. Assim, dá para planejar com antecedência a viagem dos seus sonhos e até aproveitar as promoções do Dia do Turismo que a Expedia preparou especialmente para essa semana.

Sei lá, mas acho que Dia do Turismo tem que se comemorar viajando. Não é não? 🙂

Janeiro: Patagônia

Chilena ou Argentina? Na dúvida, vá nas duas – até porque planejar uma viagem combinando os dois países é uma dobradinha que super funciona. Visitar a região é viajar por uma terra cheia de glaciares, lagos belíssimos, picos nevados e muita natureza. Há até quem ache que a beleza patagônica tem um certo “eco” de semelhança com as paisagens cinematográficas da Nova Zelândia.

El Chaltén, o destino que atrai fãs de trekking do mundo todo com paisagens paradisíacas

El Chaltén, o destino que atrai fãs de trekking do mundo todo com paisagens paradisíacas

A Patagônia Argentina é maior que a chilena em termos de território, mas a paisagem das duas é muito semelhante, e o que vai definir sua viagem é o tempo de deslocamento de uma cidade à outra – o que, em janeiro, não é um problema: é quando os dias de bom tempo são mais frequentes graças ao verão no Hemisfério Sul e você tem mais chances de ver dias lindos de céu claro contrastando com paisagens igualmente deslumbrantes. Como um dos passeios mais comuns na região são as viagens de barco e trilhas, o clima bom ajuda muito a curtir melhor o passeio.

Do lado argentino, a Patagônia começa linda pela cidade de El Calafate, que é a base ideal para quem quer conhecer o glaciar de Perito Moreno e o parque de El Chaltén, considerado a “meca” dos trekkers de todo o mundo. Aqui, a paisagem é o destaque. Já quem vai para Puerto Madryn e Península Valdez, prepare as câmeras fotográficas: lá é onde estão as melhores chances de clicar animais selvagens.

O parque de Torres del Paine é uma das mais bonitas reservas naturais de todo o mundo

O parque de Torres del Paine é uma das mais bonitas reservas naturais de todo o mundo

Quem segue para o Chile pode ir por El Calafate, já que poucas horas de estrada separam a cidade argentina da fronteira chilena e, especialmente, do parque de Torres del Paine, um dos mais bonitos da América do Sul (quiçá, do mundo).

Outras ótimas opções são Puerto Montt, Pucón (excelente ponto para ecoturismo, que em janeiro tem seu forte nas atividades aquáticas) e a simpática ilha de Chiloé.

Fevereiro: Carnaval no Brasil e Ano Novo Chinês

Disparado, é o melhor mês para se estar no Brasil se você gosta de festa. E festa é o que não falta: os três carnavais mais famosos do Brasil (Recife, Salvador e Rio de Janeiro) já são um tipo de experiência que a gente tem que viver pelo menos uma vez na vida.

Um dos melhores carnavais do mundo está nas lindas e históricas ruas do Recife

Um dos melhores carnavais do mundo está nas lindas e históricas ruas do Recife

Recife e Olinda fazem a melhor dobradinha do carnaval no Nordeste: a capital pernambucana sedia o Galo da Madrugada – o maior bloco de carnaval do mundo – e tem uma agenda de shows efervescente no Recife Antigo, enquanto em Olinda ainda acontece um daqueles carnavais saudosos da “velha guarda”, com bloquinhos de rua e foliões vestidos com fantasias criativas. Aliás, diga-se de passagem, uma viagem a Olinda já vale a pena só para ver a engenhosidade das fantasias, que são levadas a sério – há quem dedique vários meses só para organizar o figurino.

Não precisa de motivo para visitar o Rio de Janeiro, mas o carnaval é uma ótima desculpa

Não precisa de motivo para visitar o Rio de Janeiro, mas o carnaval é uma ótima desculpa

A mesma vibe dos bloquinhos se repete no Rio de Janeiro, que cresce a cada ano e conta com mais de 300 blocos em diferentes locais e estilos – o que não falta é opção para correr atrás. Esse, talvez, seja o maior trunfo do carnaval nesses dois lugares: é oferecer ainda uma festa popular e democrática, que não precisa de ingresso para entrar – só de muita disposição.

Além da folia no circuito Barra-Ondina, Salvador tem outras atrações que podem render uma viagem de sonho

Além da folia no circuito Barra-Ondina, Salvador tem outras atrações que podem render uma viagem de sonho

Mas já que quem entra na chuva de confete é para se esbaldar, vale a pena, pelo menos uma vez na vida, investir em um ingresso e sair na Avenida. Qual avenida? Você escolhe: pode ser a Marques de Sapucaí, desfilando com uma das escolas de samba do Rio de Janeiro, ou no Circuito Barra-Ondina, onde acontece a esfuziante festa dos trios elétricos de Salvador. Ok, o custo é meio salgado nos dois destinos – seja o do abadá, fantasia, cadeiras ou camarote; mas não é preciso fazer muito esforço para encontrar algum amigo que já tenha ido, se apaixonado e, provavelmente, repetido a dose com gosto. Se todos eles – e o mundo inteiro – afirmam que o carnaval brasileiro é uma lifetime experience, por que não escutá-los e ir lá conferir de perto?

Mas e se carnaval não é sua praia? Nesse caso, dá tempo de ir a uma festa de ano novo – e do outro lado do mundo. O calendário da China segue uma contagem diferente do nosso e, por isso, o Ano Novo Chinês acontece em datas variáveis todo ano; em 2016, ele cai no dia 8 de fevereiro.

Você pode celebrar o ano novo chinês em qualquer chinatown do mundo, mas nada como aproveitar para ver a Grande Muralha de pertinho

Você pode celebrar o ano novo chinês em qualquer chinatown do mundo, mas nada como aproveitar para ver a Grande Muralha de pertinho

Na verdade, dá para comemorar o Ano Novo Chinês em qualquer bairro oriental do mundo, como as Chinatowns em Londres, Nova York e até no bairro da Liberdade, em São Paulo. Mas a festa mesmo, de verdade e com toda a pompa e circunstância a que tem direito, acontece na própria China. Prepare-se para ver desfiles de dragões dourados, lanternas vermelhas iluminadas, fogos, comida e muita dança. As comemorações duram quatro dias, mas é no último em que o ano chinês inicia que a festa atinge seu auge.

E mais: se você acredita em horóscopo, em 2016 começa o ano do Macaco, que, segundo o calendário chinês, é muito auspicioso. Eu acredito: assistir a um dos eventos mais espetaculares da Terra… Não tem como começar o ano melhor, né?

Março: aurora boreal

Se março marca no calendário o fim do verão (ou do inverno, no Hemisfério Norte), aproveite: é exatamente esse período de meia temporada a melhor época para “caçar” uma aurora boreal nos países mais ao norte, como Canadá, Rússia, Islândia e Noruega.

Anote na agenda da sua vida: março é a época para ver um dos maiores fenômenos naturais da Terra, a aurora boreal

Anote na agenda da sua vida: março é a época para ver um dos maiores fenômenos naturais da Terra, a aurora boreal

Assim como todos os fenômenos naturais, não é 100% garantido, mas, com a chegada da primavera o tempo nas regiões do extremo norte do planeta começa a apresentar mais noites limpas, sem tantas nuvens para bloquear a visibilidade. Então anote: é um bom momento para ir a Whitehorse, no Canadá, a Murmansk, na Rússia e à região de Tromso, na Noruega. Bônus dessa última: lá, você ainda experimenta o legítimo salmão norueguês. E alguns hotéis na Islândia, país que tem se tornado cada vez mais o queridinho dos viajantes brasileiros, possuem tetos envidraçados exatamente para você poder ver, da cama, a aurora boreal toda linda e exibida no céu. Não é uma viagem de sonho?

Abril: Turquia

A primavera no Hemisfério Norte traz o fim das chuvas e o início das temperaturas mais gostosas, sem o frio incômodo do inverno – mas com o bônus de não elevar, também, nem os termômetros ou os preços. A época é perfeita, logo, para visitar a Turquia, que continua firme com o status de um dos destinos de viagem mais exuberantes do mundo.

A mesquita azul, em Istanbul, faz parte da paisagem exótico que dá todo o tom à capital da Turquia

A mesquita azul, em Istanbul, faz parte da paisagem exótico que dá todo o tom à capital da Turquia

Istambul é a primeira joia da sua visita, com suas mesquitas e mercados – e quando você estiver lá, vai concordar comigo que o termo “joia” se encaixa muito bem para descrever a cidade. Só Istambul vai valer cada minuto gasto no voo, mas o mês de abril mostra uma Turquia belíssima muito além da capital: é o melhor mês para visitar as fontes termais de Pamukkale e fazer o passeio à Capadócia, com o famoso voo de balão. Uma dica: para uma viagem ainda mais inesquecível, veja a possibilidade de se hospedar em um dos hotéis da Capadócia, com quartos escavados dentro de cavernas e uma paisagem “lunar” do lado de fora.

Precisa mesmo descrever a imagem? Só quem já voou de balão pela Capadócia pode imaginar a sensação

Precisa mesmo descrever a imagem? Só quem já voou de balão pela Capadócia pode imaginar a sensação

E, já que você está em terras turcas em abril, com o tempo bem mais agradável, tente visitar as ruínas de Tróia (sim, a mesma do cavalo) e Éfeso, que hoje atende pelo nome de Kusadasi, mas que reúne ainda as ruínas da terceira maior cidade romana da antiguidade, e que já recebeu a visita de Marco Antônio e Cleópatra, do apóstolo Paulo de Tarso e de João Evangelista. A visita, aliás, é bem especial para quem gosta de história ou é um católico fervoroso: perto de Éfeso está a casa onde Maria, mãe de Jesus, viveu os últimos anos da sua vida.

Maio: viagem de carro pela Toscana

Uma coisa interessante de se notar na Itália é como as temporadas de colheitas impactam diretamente na paisagem da Toscana. Em julho, por exemplo, é a temporada em que os girassóis desabrocham – então, é possível ver quilômetros e quilômetros de plantações de um amarelo incandescente, belíssimo. Já em setembro acontece a vindima – então, se você for para lá neste mês, vai ver todas as parreiras carregadas de frutos. Nesse momento, um ótimo programa é o agriturismo, em que o viajante pode visitar uma fazenda produtora de vinho e ver de perto (ou até participar) da colheita e do processo.

Viajar de carro pelos lindos campos da Toscana é o programa perfeito para o mês de maio

Viajar de carro pelos lindos campos da Toscana é o programa perfeito para o mês de maio

Mas e em maio? São dois bônus especiais nessa época: as tabelas de preços ainda conservam o tarifário de baixa temporada, mas o tempo está ensolarado e a paisagem, especialmente dourada e apaixonante. Maio é, geralmente, quando acontece a colheita do trigo, de modo que é possível ver, ainda, as montanhas da Toscana com o milho maduro e dourado “dançando” em ondas com o vento. Acredite, uma viagem nesse momento é registrar com os olhos as paisagens mais bonitas do país, no seu melhor. E sem filtro!

Durante essa romântica roas trip, uma parada de alguns dias em Florença é obrigatória

Durante essa romântica roas trip, uma parada de alguns dias em Florença é obrigatória

Vale ressaltar, porém, que nesse caso a nossa sugestão é uma viagem de carro. O aluguel de carros na Toscana pode ser feito a preços bem amigáveis, partindo de cidades como Florença ou Siena. Dica: não fique com o carro alugado em Florença, já que é preciso uma licença especial para circular com ele por lá, o que encarece em muito a viagem e, cá para nós, não vale a pena, porque a cidade merece ser explorada a pé.

Esse pôr do sol será o pano de fundo do seu final de tarde todos os dias durante essa viagem (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Esse pôr do sol será o pano de fundo do seu final de tarde todos os dias durante essa viagem (Crédito da foto: Clarissa Donda)

De carro, fica muito mais fácil explorar as pequenas cidades toscanas como Arezzo, Montepulciano (conhecida como produtora de um dos melhores vinhos do mundo), San Gimignano (cidade medieval fofa e), Cortona (cidade do filme “Sob o sol da Toscana”) e a apaixonante Lucignano. Lembre-se de que, na Toscana, a estrada de uma cidade é também o passeio em si, com imagens de plantações, colinas e ciprestes. Este é um roteiro de viagem inesquecível e, cá para nós, absurdamente romântico.

Junho: Machu Picchu

Sou uma apaixonada pelo Peru e, portanto, super suspeita em dizer que é ele o meu país preferido na América do Sul, desbancando com folga Argentina e Chile (e, bem, Brasil não conta nessa matemática, ok?).

Além de conhecer esta simpática lhama, você vai conferir um dos maiores tesouros arqueológicos da humanidade em Machu Picchu (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Além de conhecer esta simpática lhama, você vai conferir um dos maiores tesouros arqueológicos da humanidade em Machu Picchu (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Polemizei? Pode ser, mas, dificilmente, quem conhecer a rica gastronomia peruana não vai concordar comigo. E para quem não foi, agende a viagem para junho, que de quebra é uma das melhores épocas para conhecer Machu Picchu. Não é só porque é a temporada de seca no Peru – é comum ter deslizamentos de terra na temporada de chuva, o que prejudica ainda mais a já difícil locomoção pelo país –, mas também porque é em junho que acontece o festival do Inti Raimi, ou “Festa do Sol”, uma celebração que ainda preserva as raízes e rituais do povo andino que habitava a região no tempo dos Incas e homenageia o solstício de inverno de formas semelhantes às que eram feitas muito antes da chegada dos espanhóis.

O festival Inti Raimi é a motivação perfeita para viajar ao Peru em junho (Crédito da foto: Clarissa Donda)

O festival Inti Raimi é a motivação perfeita para viajar ao Peru em junho (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Prepare-se para um festival de cores vivas, danças, música e comida – tudo muito vivo, alegre e fértil, como é o povo peruano.

Julho: cruzeiro pelo Mediterrâneo

O tempo de sol e as temperaturas altas dão a largada do verão europeu e, especialmente, da temporada de cruzeiros pelo Velho Continente. O que não falta é opção: há cruzeiros pelos países bálticos, pela Noruega… Mas, convenhamos, viagem de sonho mesmo no verão europeu é um cruzeiro pelo Mediterrâneo.

Até os viajantes mais rodados já sonharam em fazer um cruzeiro pelo Mediterrâneo (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Até os viajantes mais rodados já sonharam em fazer um cruzeiro pelo Mediterrâneo (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Um aviso: já foi tempo em que cruzeiros pela Europa eram sonhos inatingíveis. Planejando com antecedência, há diversas rotas e ofertas especiais para viagens que duram de cinco a doze dias, e podem caber em diferentes orçamentos.

Outro sonho clássico de quem ama viajar é conhecer as ilhas gregas, destino que faz parte da rota destes cruzeiros (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Outro sonho clássico de quem ama viajar é conhecer as ilhas gregas, destino que faz parte da rota destes cruzeiros (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Em geral, os cruzeiros partem de Veneza, o que já é um ótimo motivo para combinar com uma viagem pela Itália. Depois, eles vão para a Grécia (as ilhas gregas de Mykonos, Santorini e Corfu são paradas comuns), Croácia e Turquia, com possibilidades de parada em uma ou outra cidade para curti-la por mais tempo. Na prática, um cruzeiro é como combinar várias viagens de sonho e uma só.

Agosto: Fernando de Noronha

Agosto é inverno no Nordeste, correto? Sim, mas é também o final da temporada de chuvas e o melhor mês para visitar Fernando de Noronha – em que o mar está praticamente uma piscina, sem muitas ondas, contribuindo para aquele visual de praias “não-quero-nunca-mais-sair-daqui”. Ah, mar sem ondas significa também melhor temporada para mergulho, seja snorkelling ou com cilindro.

Noronha é "só" uma das praias mais bonitas do mundo, e está aqui, no Brasil, pertinho de você

Noronha é “só” uma das praias mais bonitas do mundo, e está aqui, no Brasil, pertinho de você

Só um detalhe: basta fazer qualquer pesquisa no Google por “melhores praias do mundo” e, fatalmente, mais de um link vai apontar Noronha com o destino imbatível. E agosto é o melhor mês do ano na melhor praia do mundo. Sério, há algum outro lugar para ir neste mês em todo o planeta que não para lá?

Setembro: Rota 66, nos Estados Unidos

Pegue sua jaqueta de couro, sua trilha sonora “Born to be wild” e caia na estrada. Poucas viagens de carro têm tanto significado quanto a Rota 66, em que a viagem em si é a estrada não o destino ou as paradas – embora, claro, seja uma ótima ideia fazer desvios para conferir o Grand Canyon ou perder-se em Las Vegas.

Dez entre dez seres humanos que gostam de dirigir já sonharam em percorrer a emblemática Rota 66

Dez entre dez seres humanos que gostam de dirigir já sonharam em percorrer a emblemática Rota 66

Setembro é fim de verão, e as temperaturas ali começam a cair um pouco – pouco mesmo, mas, já que estamos falando de um deserto, é um ótimo sinal. Você pode escolher a experiência mais clássica da Rota 66 e ir se hospedando em um dos vários motéis de beira de estrada, bem como conhecendo todos os seus restaurantes e lanchonetes que parecem ter se perdido no tempo em algum lugar dos anos 1950.

O Arizona está entre os estados que são cortados pela estrada mais famosa do mundo

O Arizona está entre os estados que são cortados pela estrada mais famosa do mundo

Quem quiser fazer o roteiro completo pode começar em Chicago (cidade que, aliás, merece ainda uma pré-esticada de uns dois ou três diazinhos) e seguir a rota passando por Springfield, St. Louis, Oklahoma, Santa Fé e Gallup – vale a pena dar uma paradinha aqui e sentir que entrou no cenário do desenho “Carros”. De lá, dá para seguir até Las Vegas e terminar a jornada, cansado e realizado, em Los Angeles.

Outubro: Dia dos Mortos no México

Este mês encerra a temporada de furacões na região do Caribe (o que é um ótimo motivo para ir conferir as águas estupidamente azuis de Cancun) e começa os preparativos para o maior festival mexicano: o do Dia dos Mortos, que começa no dia 31 de outubro e segue até 2 de novembro.

Vai para o México? Então, vá para a praia; Acapulco é uma bela escolha

Vai para o México? Então, vá para a praia; Acapulco é uma bela escolha

Minha dica? Chegue ao México lá pelo dia 20 de outubro para aproveitar a praia – o tempo muito provavelmente estará ensolarado e quente. Qual praia? Você escolhe: pode ser do lado do Pacífico, como Acapulco, ou do lado do Atlântico, como toda a costa da Riviera Maya (Playa del Carmen e Tulum são ótimas opções). Mas, no dia 30, pegue um voo para a cidade de Oaxaca, no interior do país, onde acontecem as comemorações mais tradicionais do Día de Los Muertos – que, só para adiantar, acontecem em um cemitério.

Capriche na maquiagem, desperte o morto-vivo que existe em você e curta muito o Dia dos Mortos (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Capriche na maquiagem, desperte o morto-vivo que existe em você e curta muito o Dia dos Mortos (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Acredite, não é mórbido – longe disso, aliás. O Dia dos Mortos mexicano já foi tombado como Patrimônio Imaterial da Humanidade, e é um dos mais ricos festivais do planeta. Vale quebrar seus paradigmas, pintar seu rosto com a melhor cara de caveira mexicana e ir conferir a festa: vai ser a primeira vez na sua vida em que um cemitério será muito mais interessante do que a praia.

Novembro: Festival das Lanternas, na Ásia

Anote: depois do México, o lugar mais encantado para se estar em novembro é Chiang Mai, na Tailândia, especialmente para o Yi Peng Lantern Festival. Ele acontece nas margens do rio Ping, onde milhares de pessoas acendem lanternas e as soltam para o céu estrelado. As lanternas em questão são feitas de papel, e parecem milhares de “águas vivas” luminosas voando, num espetáculo encantador.

Ver de perto o festival das lanternas na Tailândia é uma experiência de vida única e inesquecível (Crédito da foto: www.flickr.com/Mark Fischer - Creative Commons License)

Ver de perto o festival das lanternas na Tailândia é uma experiência de vida única e inesquecível (Crédito da foto: www.flickr.com/Mark Fischer – Creative Commons License)

Para cada balão, um desejo para o universo e para a sorte. Desfiles, música, mercados de comida e entretenimento com artistas de rua complementam a festa, mas, convenhamos: com a imagem poderosa desses balões iluminando o céu, sua memória mais inesquecível não vai estar ao nível do chão…

Dezembro: esqui nas Rochosas Canadenses

Já que dezembro é o mês do Natal por excelência, que tal juntar clima natalino (leia-se pinheiros decorados, chalés, boa comida e muita neve) com esqui? E, no fundo, uma paisagem de montanhas nevadas estonteantes?

Se a sua viagem dos sonhos tem que ter neve, passe o Natal nas Montanhas Rochosas do Canadá (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Se a sua viagem dos sonhos tem que ter neve, passe o Natal nas Montanhas Rochosas do Canadá (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Anote: a boa pedida é o Canadá – mais especificamente, a cidade de Banff, encravada nas Montanhas Rochosas Canadenses. A cidadezinha é de uma fofura só, com o bônus de ter as montanhas como moldura natural. Dali, uma hora de ônibus especiais para esquiadores leva às estações de Sunshine Lodge, único estabelecimento dentro do Parque Nacional, e do Lake Louise, ambos com estrutura fantástica para a prática de esqui.

Não importa se você sabe esquiar ou não; a cidade de Banff tem o que você procura (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Não importa se você sabe esquiar ou não; a cidade de Banff tem o que você procura (Crédito da foto: Clarissa Donda)

Se você é esquiador, beleza. Banff já foi considerado o melhor lugar no continente americano para a prática do esporte. Se você não é do time que se entende com o esqui no pé, sem problemas: vale marcar uma visita ao Lake Louise, um dos lagos mais bonitos do mundo, ou simplesmente pegar o carro e desbravar as estradas do Parque Nacional das Montanhas Rochosas – certifique-se de colocar as correntes de segurança para neve nos pneus.

Desse jeito, o Dia Mundial do Turismo será muito bem comemorado durante o ano inteiro! Boa viagem!

Clarissa Donda
Siga-me no

Clarissa Donda

Author chez Viajando - Expedia Brasil
Jornalista, marqueteira digital e curiosa por fotografia e por histórias inusitadas pelo mundo, que conta no seu blog, o Dondeando por aí (http://dondeandoporai.com.br/). Hoje mora em Londres com suas duas gatinhas, vive com uma mochila nas costas, já publicou um livro, plantou uma árvore, anda de patinete ao invés de bicicleta porque é mais divertido e escreve sobre novidades "in loco" da Europa para vários veículos.
Clarissa Donda
Siga-me no

Últimos posts por Clarissa Donda (veja todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *