Curtindo Paris fora do circuito turístico

Eu fui 34 vezes para Paris, pois tenho uma pequena obsessão pela cidade, mas que não me permite morar nela. Encantos não colocamos em risco, não é?

Gosto bastante de vários pontos turístico da cidade e recomendo que sejam visitados por quem nunca pisou na cidade. Caso queira experimentar por um dia um circuito menos óbvio, aí vão algumas dicas, mas lembrando que o Marais e a região de Saint Martin tem também uma horda de turistas, afinal Paris é uma das cidades mais visitadas do mundo, então é difícil fugir porque tudo pode virar lugar comum.

A arquitetura de Paris, do moderno ao mais tradicional

A arquitetura de Paris, do moderno ao mais tradicional

Eu transito muito pelos dois bairros que são próximos e dá para ir e vir a pé ou de bicicleta, que são facilmente alugáveis com um cartão de crédito e vale muito a pena.

Em junho rola o Fête de La Musique, de onde saiu a inspiração para nossa Virada Cultural. A cidade é tomada por música em todos os cantos, mas diferentemente daqui, lá qualquer pessoa pode montar seu palco e reunir os amigos. Vi shows incríveis na região de Montmartre e no Parc de La Villete. O festival rola no dia 21 de Junho de 2016.

A região de Saint Martin

A região de Saint Martin

Manhã

Lugares bons para tomar um café da manhã não faltam, mas na minha última ida para lá eu me encantei com o Folks & Sparrows, que tem deliciosos sanduíches e um café super bem tirado para todos os gostos. O lugar é pequeno, charmoso e o atendimento é impecável. A vontade é de levar cada produto vendido na loja. O único problema é que se você madruga e quer um café às 8h, lá não será o seu lugar, pois o café abre às 10h. Endereço: 14 rue Saint-Sébastien, 11ème (ao ladinho do Marais). Aberto de terça a domingo, das 10 às 18h.

Outras opções nas mediações: Rose Bakery, para quem ama comida orgânica (abre às 9h); Café Kitsuné, para quem adora um cantinho hipster e música, mas prepara o bolso (abre às 10h); La Caféothèque tem café bem feito, croissant e é uma gracinha (abre às 8h30).

Interior do  La Caféothèque

Interior do La Caféothèque

Após ter tomado um bom café, vá bater pernas no circuito de galerias de arte contemporânea de Marais. As minhas galerias favoritas na região são:

Comece pela Chantal Crousel, galeria que nasceu em 1980 já trouxe exposições de uma ampla lista de artistas internacionais consagrados como Cindy Sherman, Sophie Calle e Gabriel Orozco. É sempre uma boa surpresa visitá-la, pois não há como errar. Endereço: 10, rue Charlot.

Yvon Lambert é uma das galerias de artes mais renomadas de Paris e, talvez, uma das minhas favoritas. Eu nunca resisto à livraria (da galeria) que fica na entrada, que tem uma curadoria incrível de livros de arte, fotografia, arquitetura e design, além de uma bela lista de revistas. Nunca sei se a deixo para o início ou para o fim, já que sempre saio com uma sacola de lá. Aproveite e visite a Galerie Xippas, que fica ao lado. Endereço: 108, rue Vieille du Temple, Marais. Terça a sábado, das 10 às 19h.

Galerie Yvon Lambert

Galerie Yvon Lambert

Saindo de lá siga para a Thaddaeus Ropac, galeria de 3 andares distribuídos em 800m2, tem sempre uma boa exposição por lá. A lista de artistas que eles representam é grande incluindo nomes como Amos Gïtai, Mapplethorpe, Andy Warhol, Kiefer. Endereço: 7 rue Debelleyme, Marais. Terça a sábado, das 10 às 19h.

Emmanuel Perrotin é uma das galerias mais bonitas de Paris e a lista de artistas representados é de estrelas como Sophie Calle, Murakami, Veilhan, Wim Delvoye só para citar alguns. É imperdível. Endereço: 7 rue de Turenne (entra na vila). Terça a sábado, das 11 às 19h.

A essas alturas já é hora de almoçar. Bons lugares não faltam, mas tem 3 imperdíveis, que eu sempre dou um jeito de ir quando estou na cidade:

O Marché Des Enfants Rouge é uma ótima opção para um almoço mais rápido e barato. É um mercadão com várias sugestões de cozinhas para os mais variados gostos. Eu, particularmente, adoro o italiano que tem no corredor logo na entrada, mas o marroquino e os crepes fazem bastante sucess por lá. Endereço: 39-41 rue de Bretagne. Terça a sábado, dsa 8h30 às 19h30 (apesar do horário do mercado, os restaurantes tem horários reduzidos e chegar lá às 14h pode deixá-lo sem opções).

Marché Des Enfants Rouge

Marché Des Enfants Rouge

Para um almoço mais caprichado e demorado (e caro), o Le Petit Marché é uma ótima pedida. O menu é enxuto e tem cozinha é francesa, mas com um toque asiática. Se tiver, prefira sentar numa mesa na calçada. Não é lugar para almoçar em 1 hora. Endereço: 9 rue Béarn, Marais. Segunda a domingo, das 8 à 0h.

Caso queira mesmo aproveitar o dia para bater perna e gastar o menor tempo possível com almoço, opte pelo melhor falafel parisiense, o L’As Du Fallafel, que está no mesmo endereço há 30 anos. É pegar a fila, pegar e sair comendo. A conta sairá menos de 10 euros. Endereço: 34, rue de Roisiers, Marais. Segunda a Quinta, das 12 à 0h; Sexta, das 12 às 15h; Sábado fechado; Domingo, das 12 à 0h. Alguns afirmam que o melhor mesmo é o Zamane, na 118, Rue Mouffetard.

Tarde

Eu particularmente consigo passar o dia todo ali na região, pois opções não faltam. A rue de Roisiers é um charme só e tem diversas lojas irresistíveis. Aí é se perder nas portinhas. Por ali tem a sueca COS (a irmão mais chique da H&M) na 4, rue de Rosiers, e a japonesa Uniqlo, na 39, rue Des Francs Bourgeois (uma das minhas ruas favoritas no Marais), ótima para comprar peças básicas.

A Library of arts LO/A é uma livraria com uma curadoria incrível de livros de fotografia, moda, arquitetura, design que tem temas trimestrais. O tema do momento não poderia ser mais acertado: gênero. Endereço: 17 Rue Notre Dame de Nazareth, Nord Marais (quase na Republique).

A bela Library of arts LO/A

A bela Library of arts LO/A

Quem gosta da Colette, vai gostar também da Centre Comercial, que tem preços mais acessíveis e uma boa curadoria de produtos. Endereço: 2, rue de Marseille. Ali ao lado tem também a Artazart Design Bookstore, que é uma loja minúscula fofa de morrer com livros incríveis empilhados por todos os cantos. Endereço: 83 Quai de Valmy.

Opções de onde esticar a tarde não faltam em todos os cantos da cidade. Partindo de Saint-Martin é relativamente fácil chegar em qualquer lugar. Dá para ir pedalando, de uber ou de metrô. O Parc de La Villete é um parque imenso com design assinado pelo arquiteto suíço Bernard Tschumi, vale a visita. Por lá se encontram vários espaços distintos como o Musée de la Musique, onde a proposta é iniciar o público na descoberta da música, contando com 900 instrumentos do século XVII aos dias atuais; o La Geode, uma das maiores telas de cinema do mundo com 1000m2 e 400 poltronas com uma programação bem diversificada; o Cité des Sciences et de l’Industrie, umd os maiores museus de ciências da Europa. Endereço: 211 Avenue Jean Jaurès, 19ème. Diariamente, das 6 à 1h.

Outras opções para passar a tarde:

Caso ainda não tenha conhecido, a Fundação Louis Vuitton é parada obrigatória para quem gosta de arquitetura, design e arte. O único problema é que fica no Bois de Bologne, que é longe de tudo. Recomenda-se comprar ingresso antecipado. Endereço: 8 Avenue Mahatma Gandhi, Bois de Boulogne

Arquitetura incrível da Fundação Louis Vuitton

Arquitetura incrível da Fundação Louis Vuitton

As Catacumbas de Paris, que tem uma história incrível iniciada no século X. Por lá existe um gigante ossário de mais de 6 milhões de pessoas. O percurso de visitação tem 2km e dura cerca de 45 minutos. E prepare-se, pois são 130 degraus para entrar e 83 para sair. Endereço: 1 Avenue du Colonel Henri Rol-Tanguy. Terça a domingo, das 10 às 20h (última entrada às 19h).

O Grand Palais sempre abriga ótimas exposições, além de ser um lugar que por si só já vale a visita. Até 18 de Junho está acontecendo a Monumenta, com obras do artista chinês Huang Young Ping, que levou uma serpente gigante ao ao Grand Palais, com 35m de altura. Endereço: 3 Avenue du Général Eisenhower. Quarta a sábado, das 10 às 22h; Domingo e segunda-feira, das 10 às 20h. Não abre às terças.

Drink

Mas para fechar a tarde não deixe de retornar à Saint-Martin. Por lá vale comprar uma garrafa de vinho e sentar no canal para ver o dia cair lentamente, além do grande movimento de pessoas que rola em torno. Depois dê uma esticada no Le Comptoir Général, lugar dedicado ao exotismo e cultura de gueto, onde se celebra a cultura-africana através da música, arte, moda, cinema e dança. O local conta com um café, bar, restaurante, brechó, cinema, barbearia e até uma agência de viagem. É um dos lugares mais legais do bairro. Endereço: 80, quai de Jemmapes. A entrada é gratuita, mas doação é aceita de bom grado. Diariamente, das 11 às 2h. A loja-conceito funciona até às 19h.

O ambiente do Le Comptoir Général,

O ambiente do Le Comptoir Général

Uma opção similar para tomar drinks e ver pessoas é o La Recyclerie. Fica ao norte de Paris numa antiga estação de trem, datada de 1869. A decoração é feita com mobiliário urbano e objetos de demolição, todos à venda. Rolam workshops, bazares, aulas de yoga e brunch nos finais de semana. Endereço: 83 boulevard Ornano. Metrô Porte de Clignancourt (linha 4). Diariamente, das 7 à 0h. Sexta e sábado vai até às 2h.

Jantar

Dá para terminar a noite facilmente no Le Comptoir Général ou no La Recyclerie, mas dá também para dar uma relaxada e esticar num bom jantar regado à vinho. Opções são infinitas e as melhores necessitam de reserva. Eu acabo sempre ficando pela região entre Saint-Martin e Marais. Algumas opções:

O Chez Janou é um bistrô tipicamente francês com um menu delicioso, ótimo para jantar sem se preocupar com a hora. Comece com queijo de cabra gratinado sobre molho de tomates fresquinhos acompanhados de pães, depois se aventure em qualquer item do menu, pois nada irá decepcioná-lo. O lugar é super concorrido, por isso não deixe de reservar uma mesa para não dar com a cara na porta. O atendimento é despojado e acaba incomodando alguns, mas não se acanhe e feche a noite com uma bacia de mousse de chocolate para dividir entre todos da mesa. Endereço: 2 rue Roger Verlomme, 3èmme. Segunda a domingo, das 12 às 15h e 19 às 22h30.

O ambiente informal do Le Mary Celeste

O ambiente informal do Le Mary Celeste

Caso queira um lugar mais agitado, o Le Mary Celeste é super moderno dando a sensação de estar num barco pequeno e com janelas altas que, em dias quentes, ficam abertas. O público que frequenta o lugar é jovem e descolado. Ótimo para tomar coquetéis acompanhados de ostras, além de uma variedade de tapas, bons vinhos e boas cervejas. O atendimento é ótimo. Vale ir mesmo que seja para tomar um drink e contemplar os belos franceses. Endereço: 1 rue Commines. Diariamente das 5 às 2h.

O Joséphine Caves Parisiennes é um bar de vinho, coquetéis e uísque ótimo para beliscar e esticar a noite. Decoração moderna e aconchegante, também um bom lugar para tomar drinks e pedir pranchas de queijos e charcutaria. Tem uma pista que toca rock e reaggea ska. Endereço: 25 rue Moret, 11èmme. Segunda a sábado, das 18 às 5h.

Paris conta com várias casas de shows e sempre tem algo bacana rolando na cidade. A minha sugestão é sempre consultar o songkick para ver o que vai ter quando estiver em Paris. Não tem como errar.

 

Lalai Persson

Lalai Persson

Autora chez Viajando - Expedia Brasil
Lalai Persson é DJ e produziu festas por 5 anos em São Paulo, trabalhou por 10 anos com publicidade, é uma das co-fundadoras da agência Remix Social Ideas, além de ser curadora da área de música de eventos como youPIX e Campus Party. É blogueira desde o início de 2000 e em 2013 criou o Chicken or Pasta, site de lifestyle de viagens. Atualmente está na estrada sempre que possível.
Lalai Persson

Últimos posts por Lalai Persson (veja todos)