Como é fazer um curso de escalada em São Paulo

Eu sou uma pessoa cheia de medos, nada esportiva, mas tento encarar desafios. Altura é algo que me faz tremer, mas eu estou sempre a desafiando. Escalada é algo que nunca passou pela minha cabeça, mas casei com um sueco que tem como paixão o esporte no geral. Entre convites para tentar escalar uma parede em academias fechadas em São Paulo e vários “não”, ele acabou tentando me convencer ao desafio me dando um curso de presente e, de quebra, ainda foi fazer junto. Logo ele que escala até gelo se precisar.

Eu na escalada, quando comecei a me aventurar com esse esporte

Eu na escalada, quando comecei a me aventurar com esse esporte

São Paulo tem algumas escolas e academias de escaladas. A minha iniciação em me pendurar nas alturas começou na primeira. O presente veio em formato de um vale-curso na Climbing com 2 aulas: uma teórica, que levou 8 horas para aprendermos tudo sobre equipamentos necessários para uma escalada em rocha como cordas, cadeirinhas, mosquetões, costuras, cordeletes; uma aula inteira só de nós, que a gente vai entender mesmo o porquê quando estamos pendurado na rocha. Só aqui foram 8 tipos de nós para aprender. Depois vem a revisão dos nós, conceitos e tipos de escaladas, segurança, realização de rapel como sistema de backup e até ética da escalada. É chato? A parte teórica sim, mas totalmente necessária.

Em plena ação

Em plena ação

 A segunda aula já aconteceu em Pedra Bela, a 120km de São Paulo, onde colocamos em prática tudo aprendido em sala de aula. Claro que eu mal lembrava como dava um nó no dia seguinte. Eu tremi bastante na base ao olhar para os 50 metros de altura que escalaríamos com algumas partes beeeem íngremes.

Em treinamento

Em treinamento

Passamos o domingo debaixo de um sol escaldante sem sequer ter uma sombra para se refugiar. O dia foi subir e descer a pedra. Tive vários momentos de pânico, em especial a minha primeira subida, quando achei que seria impossível ficar em pé num lugar que tinha uns 70º graus e depois 90º. Quando cheguei a 30m de altura e olhei para trás, novamente bateu o pânico. Subir parecia mais fácil do que descer. E lá estava o meu par me dando segurança para eu deslizar até o chão sem algum problema. Fechei os olhos, joguei o corpo pra trás e fui.

Olhava para cima, olhava para mim e mal acreditava que tinha conseguido fazer aquilo. E era só o começo. Na sequência eu aprendi a descer de rapel e foi ainda mais tenso, pois não tinha alguém me dando segurança. Eu tinha que confiar em mim. Era eu e eu. Eu só chegaria no pé da pedra se desse conta de mim. E desci. E novamente veio aquela sensação incrível de ter conseguido algo que eu sequer imaginaria ser possível pra mim. E ainda era só o começo.

Meu dupla

Meu dupla

Quando fomos para a segunda parte da aula que envolvia guiar, que é subir a rocha e ir colocando a corda na chapeleta, que são como ganchos onde você vai prendendo a corda, o que envolvia fazer duas paradas e descer, eu tremi e decidi que seria a primeira a guia, assim não teria como voltar atrás. Foi uma das coisas mais tensas que já fiz, especialmente porque eu estava guiando e teria que dar segurança para o meu par plantada no meio da pedra enquanto ele subia.

Levamos cerca de 1:20 no processo todo. Foi exaustivo com momentos de tensão, mas alcançar o topo na primeira escalada com direito a guiada, me trouxe uma auto-confiança que há muito eu não sentia. Quando desci rapelando veio a sensação de que eu estava voando, mesmo presa à uma corda. O corpo está suspenso e a pedra é um mero apoio para descer, mas sequer é necessária. E quando você entende todo o processo, você percebe o quanto é seguro escalar se você seguir todas as regras, fazer os nós corretamente e ter os equipamentos necessários.

Quem quiser começar a empreitada, é possível escolher uma das academias de escaladas, que podem ser um bom começo. Duas que eu recomendo são a 90 Graus e a Casa de Pedra. Eles tem instrutores para quem quer começar devagar e também alugam sapatilha e cadeirinha. Caso curta a ideia, sugiro fazer então um curso de escalada em rocha, pois a sensação é completamente diferente, já que tem um horizonte aberto infinito atrás de você. Eu recomendo a Climbing, onde eu fiz o meu curso, pois achei os instrutores extremamente profissionais e o curso foi bem completo.

Pode ter certeza que se você for uma pessoa cheia de medos como eu, vai acabar gostando e repetindo a dose como eu.

Escalar é muito mais do que apenas subir uma rocha. Escalar é sobre desafio e confiança, e não só em nós, mas também no outro, já que escalada é, na maioria das vezes, feita em dupla como descrevi acima. Escalar tem um pouco de “voar”. A sensação de liberdade e de abraçar o mundo é presente o tempo todo. Quando você vence o medo e sobe ou desce, você vai ter uma das sensações mais incríveis do mundo. É a adrenalina misturada ao desafio conquistado. Quando escalamos, concluímos que podemos fazer qualquer coisa que quisermos.

Lalai Persson

Lalai Persson

Autora chez Viajando - Expedia Brasil
Lalai Persson é DJ e produziu festas por 5 anos em São Paulo, trabalhou por 10 anos com publicidade, é uma das co-fundadoras da agência Remix Social Ideas, além de ser curadora da área de música de eventos como youPIX e Campus Party. É blogueira desde o início de 2000 e em 2013 criou o Chicken or Pasta, site de lifestyle de viagens. Atualmente está na estrada sempre que possível.
Lalai Persson

Últimos posts por Lalai Persson (veja todos)