Compartilhe
0

5 lugares para ver no Equador

Entre a Colômbia e Peru fica um pequeno país que muitas vezes passa desapercebido do olhar do viajante brasileiro. Que erro cometemos ao não cogitar viajar pelo Equador com a frequência que o país merece, pois quando lembramos dele, muitas vezes resumimos nosso roteiro ao seu destino mais emblemático: Galápagos.

Embora seu território seja diminuto se comparado a extensão continental do Brasil, por exemplo, há muito o que se vivenciar viajando pelo Equador, conhecendo suas características culturais, geográficas e de clima bem distintas. Da Amazônia equatoriana, passando pelos Andes e pela Costa do Pacífico, o país guarda boas surpresas.

Centro histórico de Quito

A primeira delas eu diria que é o centro histórico da capital, Quito, seu provável ponto de chegada graças às conexões dos voos que partem do Brasil para o Equador.

Quito preserva, com muito orgulho, o título de primeiro patrimônio cultural da humanidade oferecido pela Unesco em 1978. Ele foi conquistado graças ao seu rico centro histórico que foi todo restaurado na última década e ainda ganhou uma iluminação especial que valoriza as obras locais.

Essa região guarda diversos museus, centros culturais e casarios coloniais do século 16, sendo o ponto de partida ideal para seu roteiro. Se você curte arte sacra, dá para passar uns dois dias inteiros só visitando cada ruazinha e entrando nas diferentes igrejas, capelas ou catedrais do centro histórico.

Se você aceita um pitaco, não passe por Quito com muita pressa. Além de guardar programas muito interessantes como a ciudad vieja, o bairro boêmio La Floresta, o teleférico, o parque da Mitad del Mundo e, um pouco mais distante, a feira de artesanatos de Otavalo, reservar um tempinho extra para se aclimatar, é uma ótima maneira de evitar o mal de altitude.

O centro histórico de Quito é puro charme, com construções antigas e muita cultura local e ainda é possível comer em ótimos restaurantes típicos (Foto: Arquivo)

O centro histórico de Quito é puro charme, com construções antigas e muita cultura local e ainda é possível comer em ótimos restaurantes típicos (Foto: Arquivo)

Termas de Papallacta

Às margens do rio Papallacta e na porta de entrada para a Amazônia equatoriana, as Termas de Papallacta são um ótimo destino para quem quer relaxar em piscinas de águas termais e aproveitar um destino de natureza ainda intocada no Equador.

Essa região já foi muito utilizada como centro de produção de batata, mas atualmente o turismo termal é um de seus grandes atrativos, afinal, o parque ficou famoso graças às propriedades medicinais de suas fontes provenientes do vulcão Antisana.

Lá você também vai encontrar outras atividades de relaxamento como saunas, massagens, aromaterapia e diferentes tratamentos oferecidos pelo SPA das termas.

Um local de muito verde, paz e serenidade (Foto: Natalie Soares)

Um local de muito verde, paz e serenidade (Foto: Natalie Soares)

Vulcão Quilotoa

Eu não sei explicar se tamanha falta de ar era efeito da altitude ou da magnitude do Vulcão Quilotoa. Ao chegar no topo, realmente fiquei com a impressão de ter visto um dos cenários mais incríveis da América do Sul.

O vulcão fica a 3.880 metros de altitude e, no lugar de grandes chamas de lavas efervescentes, você encontra um lago de azul intenso. É realmente surpreendente.

O acesso é fácil e não é preciso ser um super atleta ou fazer grandes escaladas para conseguir contemplar a beleza do Quilotoa. Ao chegar no vilarejo na base do vulcão, é preciso pagar uma taxa simbólica de dois dólares pela entrada e depois caminhar numa subida de mais ou menos 10 minutos. Vale cada passo.

Um lago verde em um vulcão, cenário de filme no meio do Equador

Um lago verde em um vulcão, cenário de filme no meio do Equador (Foto: Arquivo)

Trem Nariz del Diablo

Nos últimos anos, o Equador vem investindo muito na reestruturação das suas linhas de trens turísticos, talvez a mais conhecida delas seja a rota do Trem Nariz del Diablo. É um passeio contemplativo que mostra belos cenários do interior do país e características únicas da cultura local.

Dizem que o nome Nariz del Diablo foi dado devido à formação rochosa dessa área que era considerada muito perigosa pelos trabalhadores que construíram a ferrovia. Mais do que histórias e lendas antigas, o passeio é cênico e corta um trecho da Cordilheira dos Andes repleto de picos nevados, rios caudalosos e grandes cânions.

A viagem parte da estação que fica no povoado de Alausí e custa 30 dólares. A curiosidade do passeio se dá no trecho final quando o trem faz um caminho em zig-zag e termina a última parte do trajeto em marcha a ré.

Viagem linda, com muita natureza e até trem que anda em marcha ré

Viagem linda, com muita natureza e até trem que anda em marcha ré (Foto: Natalie Soares)

Cuenca

Que surpresa boa foi chegar em Cuenca e ser surpreendida por uma cidade colonial tão bonita. Ela é um belo exemplo da arquitetura colonial espanhola ainda muito bem preservada, por isso também guarda o título de patrimônio mundial pela Unesco.

Cuenca fica ao sul do Equador e é a terceira maior cidade do país. Seu centro é repleto de igrejas, museus, prédios históricos e praças que formam um conjunto muito interessante de se conhecer caminhando meio sem rumo.

O programa mais imperdível da cidade é uma visita ao Mercado 10 de Agosto. Lá você vai encontrar produtos típicos, como frutas e temperos diferentes, e um bocado de pratos regionais, como a versão equatoriana do chicharón, um prato a base de carne de porco e especiarias.

Dona de um nome completo bem grandão – Santa Ana de los Ríos de Cuenca – Cuenca também guarda um dos maiores orgulhos do país, pois é lá que são feitos os originais chapéus do Panamá. Isso mesmo, o chapéu não é feito no Panamá e sim no Equador e é exportado para o mundo todo e os preços – sempre em dólares – podem variar de 90 a mil dólares cada peça.

Agora que você já sabe o que fazer no Equador, lembre-se que a moeda oficial adotada no país é o dólar americano. Por isso, leve com você algumas notas verdinhas trocadas, porque muitos lugares não aceitam notas grandes como a de 100 dólares.

Também não deixe de provar as frutas regionais, suas cores são intensas e seus sabores muito açucarados, isso dará um toque especial ao seu roteiro.

A linda cidade de Cuenca. A região é maravilhosa e mostra a real cultura equatoriana

A linda cidade de Cuenca. A região é maravilhosa e mostra a real cultura equatoriana

Compartilhe
0
Natalie Soares
Siga-me no

Natalie Soares

Autora chez Viajando - Expedia Brasil
Pós-graduada em Mídias Sociais pela FAAP, é autora do blog de viagem e tecnologia Sundaycooks e fundadora da ABBV (Associação Brasileira de Blogs de Viagem). Atualmente trabalha como editora de conteúdo online e vive fazendo planos para a próxima viagem.
Natalie Soares
Siga-me no

Últimos posts por Natalie Soares (veja todos)